Série A IGREJA DE JESUS! ATÉ OS CONFINS DA TERRA…, produzida pelo Ministério Só Boas Novas

FAÇAM TUDO COM MANSIDÃO E RESPEITO

[VINHETA 1 – ABERTURA]

Olá! Eu sou o Jonas e este é o PODCAST SBN, obrigado por sua companhia! E este é mais um episódio da série: A IGREJA DE JESUS, a história do maior empreendimento de todos os tempos. Venha viajar conosco pelo primeiro século da nossa era, pela revolução que colocou o mundo de cabeça para baixo, no poder do Espírito Santo.

Olá conectados e conectadas! Eu sou a Val! Eu quero você descubra comigo como os discípulos desafiaram os primeiros 100 anos da nossa história e por que eles estavam dispostos a fazer de tudo para levar as Boas novas para todas as pessoas!

Venha nos conhecer no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas, e nos tocadores de áudios: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google. E queremos conhecer você também!

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

[VINHETA ESPECIAL]

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]

Quando Pedro perguntou: SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!

O Mestre lhe respondeu: ATÉ OS CONFINS DA TERRA!

A IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!

Apresentaremos, hoje: “FAÇAM TUDO COM MANSIDÃO E RESPEITO.”

[MÚSICA]

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

Existem alguns “tiagos” mencionados no Novo Testamento, e o mais famoso deles é o filho de Zebedeu, que era pescador junto com seu irmão João, quando eles foram chamados por Jesus para seguí-Lo. Ele foi o primeiro dos apóstolos a ser martirizado, a mando do Rei Herodes, pelo fio de uma espada, conforme foi registrado em Atos no capítulo 12.

Entre os outros “tiagos”, temos Tiago filho de Alfeu, provavelmente, irmão de Levi Mateus. E tem o terceiro Tiago, mencionado como pai de Judas, aquele que não era o Iscariotes.

E, por fim, temos um quarto Tiago e que, possivelmente, foi o autor da Carta de Tiago. Ele era um meio irmão de Jesus, filho de José e Maria e conhecido com o Tiago Menor, conforme o evangelho de Marcos, capítulos 6 e 15. Ele se converteu posteriormente, se tornou um líder da Igreja em Jerusalém e foi mencionado por Paulo em sua Carta aos Gálatas, nos capítulos 1 e 2.

Ao abrir sua carta, ele foi sucinto:

– “Eu, Tiago, escravo de Deus e do Senhor Jesus Cristo, envio esta carta às doze tribos espalhadas pelo mundo.” (Tiago 1:1)

O texto da carta mostra que Tiago possuía um bom domínio da língua grega. É uma carta composta por ensinamentos sábios e práticos e com um paralelismo muito grande com os ensinos de Jesus. Os ensinos são focados em como lidar com os assuntos da vida cristã, com base na sabedoria do alto e não na sabedoria de baixo.

E tinha como destino, principalmente, o público judeu recém convertido ao cristianismo.

Tiago trata das provações e das tentações:

– “Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria passarem por qualquer tipo de provação, por que quando a nossa fé é provada, é quando a perseverança terá a oportunidade de crescer.” (Tiago 1:2,3)

Ele ensinou como lidar com os conflitos do coração e como desenvolver uma vida de sabedoria, a partir do que falamos e sentimos:

– “Entendam isto, meus amados irmãos: estejam todos prontos para ouvir, e não se apressem em falar, nem em se irar, por que a ira humana não produz a justiça divina.” (Tiago 1:19,20)

Tiago nos exorta para praticar, praticar e praticar. Para que não sejamos apenas ouvintes, mas praticantes. E a nossa prática deve estar ligada ao compromisso com a glória de Deus e não com a glória dos homens:

– “Vejam, a fé deve vir acompanhada de ações, de boas obras, senão a fé é morta.” (Tiago 2:17)

Ele, também, condenou aqueles que levam uma vida de luxo, satisfazendo seus desejos e engordando a si mesmos às custas dos inocentes:

– “Por isso, ouçam os clamores dos que trabalharam em seus campos, que estão recebendo salários injustos! Sim, os gritos dos que fizeram a colheita em seus campos chegaram aos ouvidos do Senhor dos Exércitos.” (Tiago 5:4-6)

No final da carta, ele ensina o sacramento da unção aos enfermos:

– “Se alguém estiver doente, chame os presbíteros da igreja para que venham e orem e o unjam com óleo, em nome do Senhor. Essa oração de fé curará o enfermo, e o Senhor o restabelecerá. E, se ele cometeu algum pecado, será perdoado.” (Tiago 5:14,15)

Tiago instruiu, em sua carta, como os cristãos podem alcançar a maturidade, a partir de uma a vida que mostre sua fé em Jesus Cristo. Uma fé a serviço da vida e da justiça social.

Os historiadores Josefo e Eusébio, mencionaram que sua morte ocorreu por martírio, possivelmente, por apedrejamento, por ordem das lideranças religiosas radicais do judaísmo, por volta do ano 62 dC.

A Carta de Tiago possui 5 capítulos.

[MÚSICA]

Simão, o irmão de André, era um pescador do Mar da Galileia quando Jesus o encontrou.

Foi um dia de total insucesso em sua pescaria, quando ele ouviu o Mestre insistir para que voltasse ao Mar e jogasse as redes novamente. Aquela proposta não fazia sentido, mas ele topou fazer e testemunhou o poder de Jesus ao ver suas redes cheias de peixes.

E diante da proposta do Mestre “Eu vou fazer de você um pescador de homens”, ele deixou tudo e O seguiu.

Jesus trocou seu nome para Pedro, (Cefas em aramaico), que significa pedra. E a sua caminhada de discípulo envolveu grandes momentos de altos e baixos, em busca do crescimento. Ele andou sobre as ondas em direção ao Mestre, ele O reconheceu como o “Cristo, o Filho de Deus”, ele esteve presente nos grandes momentos e manifestações do poder do Mestre, mas muitas vezes ele errou tentando acertar, ele afundou, negou e sofreu com suas fraquezas.

Mas, Jesus o amava e, depois da ressurreição, o reencontrou para lhe entregar a missão de liderar o projeto da construção de sua igreja:

– “Pedro, cuide das minhas ovelhas!” (João 21:17-19)

Pedro enfrentou suas convicções internas e teve que vencer seus preconceitos, para levar as boas novas para todas as pessoas de todos os lugares.

Sob o poder do Espírito Santo ele realizou milagres, pregou corajosamente, liderou o movimento de Jesus, fez viagens missionárias por várias cidades, foi perseguido e preso. E, nos últimos períodos de sua vida, escreveu duas epístolas, provavelmente, entre os anos 60 e 65 dC e que estão registradas no Novo Testamento.

As duas cartas foram destinadas aos cristãos espalhados pela Ásia Menor, com o intuito de instruir, animar e fortalecê-los espiritualmente, diante da intensa perseguição presente naqueles dias:

– “Eu, Pedro, apóstolo de Jesus Cristo, escrevo esta carta aos escolhidos que vivem como estrangeiros nas províncias de Ponto, Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia.” (1 Pedro 1:1)

Pedro nos ensina o que fazer diante das provações:

– “Amados, se alegrem com isso, mesmo que agora e por algum tempo, vocês precisem suportar muitas provações. Saibam que como o fogo prova e purifica o ouro, assim sua fé está sendo experimentada, e ela é muito mais preciosa que o simples ouro, para que vocês alcancem a sua salvação.” (1 Pedro 1:6-9)

E, também, ressalta o nosso valor:

– “Amados, vocês não foram resgatados com coisas perecíveis, como ouro ou prata, que podem perder o seu valor, mas com o sangue precioso de Cristo, o Cordeiro de Deus, sem defeito e sem pecado.”

– “Vocês são os escolhidos de Deus, escolhidos para a alta vocação do trabalho sacerdotal, para serem um povo santo, propriedade exclusiva de Deus. Para serem instrumentos e falar o que Ele fez em suas vidas e como os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.” (1 Pedro 1:18,19 2:9)

Pedro ensinou, em 3 passos, como devemos apresentar as boas novas:

– “Primeiro, vocês devem santificar a Cristo, como Senhor, no seu coração. Segundo, estejam sempre prontos para responder a qualquer pessoa que pedir que expliquem a esperança que vocês têm. E terceiro, façam isso com mansidão e respeito.” (1 Pedro 3:15,16)

Ele ensinou 3 regras para a vida em comunidade:

– “É melhor que vocês sofram por praticarem o bem do que praticando o mal.”

– “Sirvam uns aos outros com o dom que vocês receberam.”

– “Acima de tudo, porém, tenham muito amor uns para com os outros, porque o amor cobre uma multidão de pecados.” (1 Pedro 3:17 e 4:8)

E ensinou, também, como viver nos dias atuais:

– “Vivam livres de preocupações e ansiedades, porque o Senhor cuida de vocês. No entanto, fiquem atentos. O diabo está o tempo todo tentando atacar quando estamos desprevenidos. Resistam firmes na fé, por que o sofrimento não durará para sempre.” (1 Pedro 5:7-9)

Pedro advertiu sobre às palavras de falsos mestres:

– “Eles são fontes sem água, névoas levadas pela tempestade, para os quais está reservada a mais profunda escuridão. Eles prometem a liberdade, quando eles mesmos são escravos da corrupção. Saibam que o vencido fica escravo do vencedor.” (2 Pedro 2:1-19)

Ele termina suas epístolas, falando da volta de Jesus:

– “Amados, vocês não devem esquecer: para o Senhor, um dia é como mil anos, e mil anos são como um dia. Ele não está atrasado como muitos pensam. Pelo contrário, ele é paciente, não quer que ninguém se perca, mas que todos cheguem ao arrependimento.

O Dia do Senhor virá como um ladrão e haverá grandes confusões e destruições. Amados, vivam em paz e pureza, esperando pela promessa de Deus, esperem pelos novos céus e nova terra, onde habita a justiça. (2 Pedro 3:8-13)

As Epístolas de Pedro possuem, ao todo, 8 capítulos.

O apóstolo Pedro liderou, por 10 anos, a Igreja na cidade de Jerusalém, na Judéia, Samaria, no litoral e em Antioquia. No ano de 42 D.C., ele se transferiu para a cidade de Roma, sede do Império, onde seria mais fácil a locomoção para evangelizar.

No tempo de Nero, por volta do ano 65 dC, ele foi perseguido e preso.

A Bíblia não registra como foi a morte de Pedro, mas a história conta que ele foi crucificado nos arredores de Roma (atual Vaticano). E, de acordo com a tradição, ele teria pedido aos algozes que fosse crucificado de cabeça para baixo, dizendo “Não sou digno de morrer como meu mestre Jesus”, e eles atenderam seu pedido.

E, naqueles momentos, o apóstolo se lembrou do que o Mestre lhe disse:

– “Pedro, enquanto você for jovem, poderá agir, se vestir e ir onde quiser. Mas, chegará o tempo, quando você envelhecer, que os outros o vestirá e o levará aonde você não quer ir. É para isto que eu estou te chamando: Siga-me.” (João 21:18,19)

Séculos mais tarde, no lugar de sua morte, em Roma, foi construída a Basílica de São Pedro, no ano 330 dC.

Alguns estudiosos acreditam que Pedro tenha sido a grande fonte e influência por trás do Evangelho de Marcos.

Pedro aprendeu no caminho, com erros e acertos, cresceu na graça e quando ele afundou ele gritou “Senhor salva-me!” e Jesus estava lá para socorrê-lo. Ele entendeu que sem Jesus não havia outro lugar para ir. Por que somente Cristo Jesus é a Rocha viva e inabalável, que nos fortalece.

Após a morte de Pedro, a perseguição aos cristãos se acirrou fortemente. Principalmente, após Roma ter sido incendiada por Nero, que transferiu a culpa para os cristãos. Por isso, muitos foram perseguidos, presos e condenados à morte.

[MÚSICA]

SENHOR, PARA ONDE IREMOS?! – Até os confins da terra!

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]


Val, o que você aprendeu hoje?!

– Tiago nos ensinou como é importante a prática para alicerçar a nossa fé…

– Sim. Praticar boas obras para cuidar dos fracos…

– A vida de Pedro foi uma vida de errar para acertar. Uma vida que se parece com a nossa.

– Isto mesmo, ele confiou na promessa e cresceu na graça. Ele foi um grande líder do movimento de Jesus…

– E quando ele afundou, descobriu que Jesus estava pertinho dele e pronto para ajuda-lo…

– Ele venceu suas fraquezas e preconceitos por que procurava sempre estar perto do Mestre.

E o que é a Igreja para você?! Queremos saber sua opinião… Deixe seus comentários em nossas redes

 [VINHETA 6 – ESTA É A HISTÓRIA DA IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!]

No próximo episódio, veremos o final da vida dos apóstolos.

E veremos, também, a última viagem missionária de Paulo e os momentos finais de sua vida.

No próximo episódio venha ver:

A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra!

Meu pai, nós somos gratos e te louvamos por sua graça e misericórdia, por nos criar e pela salvação em Cristo Jesus. Nós te louvamos por nos incluir em seus planos e por aqueles que, antes de nós, lutaram e deram seu suor e sangue para que as boas novas do Evangelho chegassem até aqui.

E oramos, em nome de Jesus, para que o Senhor abençoe a tua Igreja, nos ensine a te servir e abençoe a todos aqueles que nos ouvem.

E todos nós dizemos… Amém!


[VINHETA 5 – SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!]

Quer apoiar o Ministério Só Boas Novas?! Acesse www.soboasnovas.com.br e clique no botão DOAR.

E, se você se sentiu abençoado com este episódio, você pode nos ajudar divulgando e compartilhando este e outros materiais do PODCAST SBN. Acesse no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas e nos tocadores de áudios: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google.
Então acesse, assine e comente em nossos canais, e, principalmente, compartilhe com seus amigos!

[VINHETA 2 – A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra…]

Esperamos você no próximo episódio! Até lá!

[VINHETA 4 – FECHAMENTO]

– Jonas de Souza Netto

https://soundcloud.com/soboasnovas/ep-i19-facam-tudo-com-mansidao-e-respeito

Série A IGREJA DE JESUS! ATÉ OS CONFINS DA TERRA…, produzida pelo Ministério Só Boas Novas

APÓS A TEMPESTADE

[VINHETA 1 – ABERTURA]

Olá! Eu sou o Jonas e este é o PODCAST SBN, obrigado por sua companhia! E este é mais um episódio da série: A IGREJA DE JESUS, a história do maior empreendimento de todos os tempos. Venha viajar conosco pelo primeiro século da nossa era, pela revolução que colocou o mundo de cabeça para baixo, no poder do Espírito Santo.

Olá conectados e conectadas! Eu sou a Val! Eu quero você descubra comigo como os discípulos desafiaram os primeiros 100 anos da nossa história e por que eles estavam dispostos a fazer de tudo para levar as Boas novas para todas as pessoas!

Venha nos conhecer no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas, e nos tocadores de áudios: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google. E queremos conhecer você também!

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

[VINHETA ESPECIAL]

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]

Quando Pedro perguntou: SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!

O Mestre lhe respondeu: ATÉ OS CONFINS DA TERRA!

A IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!

Apresentaremos, hoje: “APÓS A TEMPESTADE”

[MÚSICA]

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

A maravilhosa Carta de Paulo aos Romanos é uma jornada de compreensão genuína do propósito de Deus. E, conforme João Calvino disse, ela abre uma amplíssima porta de acesso aos mais profundos tesouros da Escritura.

Esta epístola foi escrita, provavelmente, nos anos 57 e 58 dC, durante a sua permanência, por três meses, na cidade de Corinto. E o seu texto impactou e influenciou a teologia sobre a visão da Justificação pela fé.

A Carta traz a apresentação do Evangelho segundo Paulo e seus principais pensamentos doutrinários para as comunidades cristãs de Roma, a mais importante e desafiadora cidade da época, por sua riqueza e pluralidades sociais e religiosas.

– “Eu, Paulo, escravo de Cristo Jesus, chamado e enviado para ser apóstolo, escrevo esta carta para todos os cristãos e amigos de Roma, para anunciar as boas-novas de Deus, que ele prometeu e foi escrita por seus profetas. As boas-novas que revelam o seu Filho Jesus, que, como homem, nasceu da linhagem do rei Davi e viveu entre nós.” (Rm 1:1-3)

A Carta os Romanos é um livro de ensinamento profundo e rico e pode ser dividido em duas partes. Na primeira, ele trata sobre a necessidade da justificação pela fé, o modo como ela se dá e os seus frutos. E na segunda parte, ele discorre sobre os deveres dos fiéis, e do convívio entre fracos e fortes.

Paulo mostrou nela o problema de todos nós:

– “Prestem atenção! Não há ninguém que seja justo, nem um sequer” (Rm 3:10), “…por que todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Rm 3:23). Quando Adão pecou, o pecado entrou no mundo, e assim a morte se estendeu a todos nós… Todos nós pecamos… E o salário do pecado é a morte.”

Mas, também, mostrou uma mensagem de esperança:

– O evangelho é “o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê” (Rm 1:16). Todos nós, pecadores, somos “justificados gratuitamente, por sua graça” (Rm 3:24), por que “Deus provou o seu grande amor ao enviar Cristo para morrer por nós, quando éramos ainda pecadores” (Rm 5:8). E isto é um “… dom gratuito de Deus… A vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 6:23).

O apóstolo nos ensinou e nos animou para nossas batalhas diárias contra a tentação e outras provações:

– Nós “… fomos declarados justos por causa do sangue de Jesus e, certamente, seremos salvos da ira de Deus”, por que quando ainda éramos inimigos de Deus, Ele nos reconciliou pela morte de seu Filho, para sermos salvos por sua vida. E assim, nós podemos nos alegrar em Deus, pela reconciliação por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. Afinal, esta é a graça de Deus e a dádiva de sua justiça.” (Romanos 5:9-11, 5:17)

E declarou:

– “Irmãos lembre-se, onde aumentar o pecado, aumentará muito mais ainda a graça.” (Romanos 5:20)

Paulo afirma que todas as três pessoas divinas lutam para o nosso bem:

– “…o mesmo Espírito intercede por nós” (8:26-27). “… Cristo Jesus…também intercede por nós” (8:34). “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (8:31). Então a vitória é certa, por que “Em todas estas coisas, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou” (8:37).

Paulo apresentou o melhor dos seus ensinamentos para a vida cristã:

– “Irmãos, eu suplico que vocês entreguem seu corpo a Deus, por causa de tudo o que ele fez por vocês. Sejam um sacrifício vivo e santo, e agradável a Deus. Se vocês querem adorá-lo, não imitem o comportamento e os costumes deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma mudança em seu modo de pensar, de dentro para fora, e assim experimentarão a boa, agradável e perfeita vontade de Deus para vocês.” (Romanos 12:1,2)

E recomendou como tratar os fracos:

– “Nós que somos fortes devemos ter consideração pelos fracos, e não agradar a nós mesmos. Devemos agradar ao próximo visando o que é certo, e ter a edificação deles como alvo. (Romanos 15:1,2)

Paulo manifestou na carta, também, o anseio de visitar a comunidade cristã em Roma. E depois de visita-los, o apóstolo planejava uma quarta viagem missionária para chegar até Espanha, no extremo do império romano, que era o “confins da terra” daquele período. (Romanos 1.11-12, 15:28-19)

E, no final, Paulo comunica sua confiança total na sabedoria de Deus:

– “Como são grandes as riquezas, a sabedoria e o conhecimento de Deus! É impossível entendermos suas decisões e seus caminhos!

Irmãos, que o Senhor que nos dá sua paz esteja com todos vocês.

Amém.” (Romanos 11:33, 15:33)

A Carta de Paulo aos Romanos possui 16 capítulos.

[MÚSICA]

Após três meses na ilha de Malta, esperando o inverno passar. Eles conseguiram um navio para seguirem a viagem.

Era um navio alexandrino, que tinha na parte da frente a figura dos deuses gêmeos, Castor e Pólux. E, após as despedidas emocionadas, Paulo e os 276 partiram para Roma.

No percurso até Roma, eles passaram por Siracusa, onde ficaram três dias, depois navegaram até Régio e Potéoli, onde encontraram alguns irmãos e passaram uma semana com eles

Quando os irmãos de Roma souberam que Paulo estava chegando, vieram ao seu encontro no Fórum da Via Ápia. E outros se juntaram a eles, em Três Vendas. E Paulo, ao vê-los, ficou muito feliz, se animou e agradeceu a Deus.

Em Roma, Ele recebeu permissão para ter sua própria moradia, sob a guarda de um soldado. Uma espécie de prisão domiciliar.

Três dias depois, Paulo convocou os líderes judeus locais e disse:

– “Irmãos, eu não fiz nada contra nosso povo, nem contra os costumes de nossos antepassados, apesar disto, fui preso em Jerusalém e entregue ao governo romano que me interrogou e não encontrou motivo para me condenar à morte. Eles até queriam me soltar. Mas, os líderes judeus protestaram contra a decisão e tive que apelar a César.

Por isso pedi a vocês que viessem aqui hoje para nos conhecer e, também, explicar que estou preso com estas correntes porque creio na esperança de Israel”.

– “Nós não recebemos nenhuma carta da Judeia, e ninguém que veio de lá para nos informar qualquer coisa contra você. Mas, queremos ouvir o que você pensa, por que ficamos sabendo desse movimento e que ele é contestado em toda parte”.

Foi marcada uma reunião para que eles ouvissem o que Paulo tinha a dizer e muita gente compareceu à sua casa.

Ele ficou o dia inteiro, explicando e testemunhando para eles, sobre o reino de Deus e sobre Jesus com base na lei de Moisés e nos livros dos profetas.

No final, alguns se convenceram sobre as coisas que ele disse, mas outros, infelizmente, se recusaram a crer.

E, Paulo os despediu dizendo:

– “O Espírito Santo estava certo quando disse por meio do profeta Isaías:

‘Vá e diga a este povo: Quando ouvirem o que digo, não entenderão. Quando virem o que faço, não compreenderão.

Por que o coração deles está endurecido, os olhos e os ouvidos estão fechados. Eles não veem, não ouvem e seu coração não entende, por isso não conseguem se voltar para mim, nem permitir que eu os cure’.”

As palavras diretas de Paulo provocaram um grande desacordo entre eles e ele completou:

– “Por isso, irmãos quero que vocês saibam que esta salvação vinda de Deus também foi oferecida aos gentios, e eles a aceitarão.”

E, em seguida, eles partiram discutindo e a contenda era grande.

Durante os dois anos seguintes, Paulo morou em Roma, às suas próprias custas. E ele recebia a todos que o visitavam, e proclamava, corajosamente, o reino de Deus e ensinava respeito do Senhor Jesus Cristo. A porta de sua casa estava sempre aberta e ele estava sempre disposto a pregar. (Atos 28:1-31)

Após a tempestade veio o cuidado, em Malta, em Roma, mas outras tempestades e desafios ainda viriam, e o cuidado de Deus estava sempre presente na vida de Paulo

[MÚSICA]

SENHOR, PARA ONDE IREMOS?! – Até os confins da terra!

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]


Val, o que você aprendeu hoje?!

– A carta ao Romanos enriquece a compreensão dos Evangelhos…

– Certamente, a compreensão da Lei e da Graça de Deus é muito clara através do que Paulo escreveu…

– Somos todos pecadores e através de Jesus podemos obter a salvação…

– Finalmente, Paulo chegou a Roma…

– E teve que dar muitas explicações aos Judeus…

– E, infelizmente, nem todos aceitaram.

E o que é a Igreja para você?! Queremos saber sua opinião… Deixe seus comentários em nossas redes

 [VINHETA 6 – ESTA É A HISTÓRIA DA IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!]

No próximo episódio, veremos os ensinos das Epístolas de Pedro e Tiago.

E veremos, também, os desafios finais nos ministérios dos apóstolos.

No próximo episódio venha ver:

A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra!

Meu pai, nós somos gratos e te louvamos por sua graça e misericórdia, por nos criar e pela salvação em Cristo Jesus. Nós te louvamos por nos incluir em seus planos e por aqueles que, antes de nós, lutaram e deram seu suor e sangue para que as boas novas do Evangelho chegassem até aqui.

E oramos, em nome de Jesus, para que o Senhor abençoe a tua Igreja, nos ensine a te servir e abençoe a todos aqueles que nos ouvem.

E todos nós dizemos… Amém!


[VINHETA 5 – SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!]

Quer apoiar o Ministério Só Boas Novas?! Acesse www.soboasnovas.com.br e clique no botão DOAR.

E, se você se sentiu abençoado com este episódio, você pode nos ajudar divulgando e compartilhando este e outros materiais do PODCAST SBN. Acesse no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas e nos tocadores de áudios: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google.
Então acesse, assine e comente em nossos canais, e, principalmente, compartilhe com seus amigos!

[VINHETA 2 – A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra…]

Esperamos você no próximo episódio! Até lá!

[VINHETA 4 – FECHAMENTO]

– Jonas de Souza Netto

https://soundcloud.com/soboasnovas/ep-i18-apos-a-tempestade

Série A IGREJA DE JESUS! ATÉ OS CONFINS DA TERRA…, produzida pelo Ministério Só Boas Novas

DEUS CUIDARÁ DE NÓS!

[VINHETA 1 – ABERTURA]

Olá! Eu sou o Jonas e este é o PODCAST SBN, obrigado por sua companhia! E este é mais um episódio da série: A IGREJA DE JESUS, a história do maior empreendimento de todos os tempos. Venha viajar conosco pelo primeiro século da nossa era, pela revolução que colocou o mundo de cabeça para baixo, no poder do Espírito Santo.

Olá conectados e conectadas! Eu sou a Val! Eu quero você descubra comigo como os discípulos desafiaram os primeiros 100 anos da nossa história e por que eles estavam dispostos a fazer de tudo para levar as Boas novas para todas as pessoas!

Venha nos conhecer no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas, e nos tocadores de áudios: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google. E queremos conhecer você também!

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

[VINHETA ESPECIAL]

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]

Quando Pedro perguntou: SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!

O Mestre lhe respondeu: ATÉ OS CONFINS DA TERRA!

A IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!

Apresentaremos, hoje: “DEUS CUIDARÁ DE NÓS!”

[MÚSICA]

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

Entre as Cartas de Paulo, estão algumas denominadas cartas pessoais ou pastorais que foram dirigidas Filemom, Tito e Timóteo. A carta escrita à Filemom, é a epístola mais curta e talvez a mais pessoal de Paulo e, provavelmente, foi escrita entre o ano 60 e 62 dC, durante sua prisão.

Paulo a escreveu para o amigo Filemon, que era um cristão rico e colaborador da cidade Colossos. Ele abrigava uma comunidade cristã em sua casa e era dono de um escravo chamado Onésimo.

– “Sempre dou graças a meu Deus por você em minhas orações. Tenho ouvido com frequência de sua fé no Senhor Jesus e de seu amor e bondade por todo o povo santo.” (Filemom 1:4-7)

Onésimo tinha fugido de seu dono e, após sua conversão, o apostolo faz uma intercessão junto à Filemon, para que o aceite de volta, não mais como um escravo, mas como irmão amado.

– “Suplico que demonstre bondade a meu filho Onésimo. Tornei-me pai dele na fé quando estava aqui na prisão.” (Filemom 1:10)

Este processo envolvia o perdão e a libertação de um escravo, que por causa de sua fuga estava sujeito à severas punições. Por isso, Paulo se oferece para compensar Filemon por qualquer perda financeira.

A Epístola destaca a relação entre um senhor e um escravo, duas classes sociais presentes e distintas no período no Novo Testamento. Mostra, também o poder e a igualdade do Evangelho para a salvação de todo aquele que crê e é capaz de alcançar senhores e escravos. E enfatiza a ação providencial do Evangelho que transforma aquilo que parecia não ter mais solução, em um meio pela qual o pecador se encontra com Deus.

Paulo intercedeu por alguém inútil, segundo os valores sociais da época, um escravo que fugiu, mas que por sua conversão se tornou útil para o evangelho. É assim que Jesus intercede por um pecador arrependido e paga suas dívidas.

– “Amigo, eu o envio de volta a você, e com ele vai meu próprio coração.” (Filemom 1:10-12)

A Carta a Filemon, possui apenas 25 versos.

[MÚSICA]

Em sua viagem de navio à Roma, Paulo e a tripulação sofreram com ventos contrários e uma intensa tempestade que os obrigaram a lançar ao mar, boa parte das cargas e equipamentos.

O barco ficou sem controle e eles ficaram à deriva, sem ver o sol e as estrelas e sem comida por vários dias, até perderam todas as esperanças.

Então, Paulo percebendo a tragédia que estava à sua volta, reuniu a tripulação e disse:

– “Os senhores deveriam ter me ouvido em Creta e nos ter deixado em Bons Portos. Teríamos evitado toda esta provação e estes prejuízos.”

E, em seguida os animou:

– “Amigos, tenham ânimo! As coisas vão melhorar! Este navio já está condenado, mas eu garanto que nenhum de nós perderá a vida. Por que, ontem à noite, um anjo de Deus, a quem pertenço e sirvo, se pôs ao meu lado e disse: ‘Não tenha medo, Paulo! É preciso que você compareça diante de César. E Deus, em sua bondade, irá proteger a todos que navegam com você’.

Por isso, se animem! Deus cuidará de nós!”

Passados 14 dias, por volta da meia-noite, enquanto eles eram levados de um lado para o outro, sem controle, no mar Adriático, os marinheiros perceberam que estavam perto de terra firme.

E, então, lançaram a sonda e verificaram que o fundo do mar estava a uns 37 metros. E quando a profundidade chegou a 27 metros, temeram serem atirados contra as rochas na praia, por isso, lançaram quatro âncoras para tentar conter o navio, ansiando que o dia amanhecesse logo.

Os marinheiros até tentaram baixar o barco salva-vidas, para abandonar o navio. Mas, Paulo virou para o oficial e soldados e disse:

– “Se os marinheiros não permanecerem a bordo, nós vamos naufragar.”

Então os soldados os impediram, cortando as cordas do barco salva-vidas que ficou à deriva.

Quando amanheceu, Paulo preocupado com todos, por não terem se alimentado há duas semanas, insistiu com eles:

– “Por favor, comam alguma coisa agora, para seu próprio bem. Acreditem! Eu garanto que nem um fio de cabelo da cabeça de vocês se perderá.”

Assim, ele tomou um pão, deu graças a Deus, partiu em pedaços, comeu e distribui para eles. E todos se animaram e comeram também.

Haviam 276 pessoas a bordo. E depois de se alimentar, a tripulação aliviou o peso do navio mais um pouco, atirando ao mar toda a carga de trigo.

No dia seguinte, eles avistaram uma enseada com uma praia e tentaram fazer o navio chegar até lá. Eles cortaram as âncoras, soltaram o leme, levantaram a vela da frente para chegar a praia, mas o navio foi apanhado por correntezas contrárias e acabou encalhando antes do esperado. A parte da frente ficou presa nas pedras, enquanto a parte de trás, atingida pela força das ondas, começou a se partir.

Foi um momento de desespero, por que os soldados queriam matar os prisioneiros para que não nadassem até a praia e depois fugissem. Mas, o oficial Júlio, desejando poupar a vida de Paulo, impediu que eles executassem seu plano.  E ordenou aos que sabiam nadar que saltassem ao mar primeiro e aos outros para se agarrarem a tábuas ou pedaços do navio e fossem em direção a terra. E assim, todos chegaram à praia em segurança. (Atos 27:21-44)

Só depois de estarem a salvo em terra, eles descobriram que estavam na ilha de Malta. E o povo da ilha se aproximou e os tratou com muita bondade.

– “Era um dia frio e chuvoso, eles fizeram bondosamente uma fogueira na praia para nos aquecer.”

Enquanto, Paulo juntava mais gravetos para colocar na fogueira, uma cobra venenosa mordeu sua mão. E os habitantes da ilha quando viram a cobra pendurada em sua mão ficaram atemorizados:

– “Sem dúvida ele é um assassino! Embora tenha escapado do mar, a punição chegou e ele não vai viver.”

Paulo, ficou tranquilo, sacudiu a cobra no fogo e continuou suas atividades.

O povo ficou na expectativa que ele inchasse e caísse morto a qualquer momento. No entanto, depois de algum tempo, eles viram que nada lhe aconteceu. E eles mudaram de ideia e começaram a dizer que ele era um deus.

Perto da praia, havia uma propriedade pertencente a Públio, a principal autoridade da ilha. E, por três dias, ele hospedou Paulo e a tripulação e os tratou com muita bondade.

Paulo soube que o pai de Públio estava muito doente, com febre e disenteria. E foi até ele, orou e impondo as mãos sobre sua cabeça, o curou.

A notícia se espalhou rapidamente e muitos enfermos da ilha vieram até ele e foram curados.

Eles ficaram por três meses na ilha de Malta, até que passou o inverno. E, então, conseguiram um navio alexandrino para seguirem a viagem para Roma.

– “Quando chegou a hora de partirmos, o povo da ilha nos cobriu de presentes e honras e com todos os suprimentos necessários para nossa viagem. E todos nós nos despedimos e embarcamos emocionados.” (Atos 28:1-11)

Deus não só abençoou e protegeu Paulo, mas também as pessoas que estavam a sua volta, os 276 que estavam no Barco e os habitantes da Ilha de Malta.

[MÚSICA]

SENHOR, PARA ONDE IREMOS?! – Até os confins da terra!

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]


Val, o que você aprendeu hoje?!

– Paulo sabia que não havia diferenças entre as pessoas. Ricos e pobres, Senhores e Escravos…

– A sua intercessão pelo escravo Onisésimo, é a demonstração do poder transformador do Evangelho, para todos os tipos de pessoas. Ele convida Filemom para entender a transformação que aconteceu ele e sua família até o seu escravo… que deixou de ser escravo para ser um irmão amado.

– Paulo e mais 276 pessoas estavam soltos no mar, sem controle, à deriva, sofrendo em meio à tempestade e ventos fortes… E Paulo os reuni para dar uma mensagem de esperança do Senhor.

– A mensagem de esperança deu possibilidade para partirem o pão juntos e alimentados seguirem adiante…

– Paulo se apresenta como um líder em todos os momentos e está disposto a servir e ser instrumento de Deus em todos os momentos.

– Ele intervinha por todos… e, através de sua pregação e milagres na ilha de Malta, ele deixou os habitantes da ilha maravilhados, com o caso da picada da cobra e nas curas dos enfermos… Um testemunho e tanto…

E o que é a Igreja para você?! Queremos saber sua opinião… Deixe seus comentários em nossas redes

 [VINHETA 6 – ESTA É A HISTÓRIA DA IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!]

No próximo episódio, veremos os maravilhosos ensinamentos de Paulo em sua famosa Carta aos Romanos.

E veremos, finalmente, a chegada de Paulo em Roma, após sua terrível viagem de 3 meses.

No próximo episódio venha ver:

A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra!

Meu pai, nós somos gratos e te louvamos por sua graça e misericórdia, por nos criar e pela salvação em Cristo Jesus. Nós te louvamos por nos incluir em seus planos e por aqueles que, antes de nós, lutaram e deram seu suor e sangue para que as boas novas do Evangelho chegassem até aqui.

E oramos, em nome de Jesus, para que o Senhor abençoe a tua Igreja, nos ensine a te servir e abençoe a todos aqueles que nos ouvem.

E todos nós dizemos… Amém!


[VINHETA 5 – SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!]

Quer apoiar o Ministério Só Boas Novas?! Acesse www.soboasnovas.com.br e clique no botão DOAR.

E, se você se sentiu abençoado com este episódio, você pode nos ajudar divulgando e compartilhando este e outros materiais do PODCAST SBN. Acesse no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas e nos tocadores de áudios: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google.
Então acesse, assine e comente em nossos canais, e, principalmente, compartilhe com seus amigos!

[VINHETA 2 – A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra…]

Esperamos você no próximo episódio! Até lá!

[VINHETA 4 – FECHAMENTO] – Jonas de Souza Netto

https://soundcloud.com/soboasnovas/ep-i17-deus-cuidara-de-nos

PODCAST Especial de Natal 2021 produzido pelo Ministério Só Boas Novas

O MENINO DE NAZARÉ

[VINHETA ABERTURA]

Olá! Que bom estar com você neste episódio especial de Natal do PodCast SBN! E a minha companheira de PodCast é a Val… Olá Val! Tudo bem com você?!

Olá Jonas, o Natal é uma data muito especial para mim, por que é uma época de presentes e o maior presente é Jesus…

Sabe Val, a história do Natal, do nascimento de Jesus, é uma história de esperança.

Eu sei… O nascimento de Jesus marcou a história. Este acontecimento dividiu a história deste mundo entre antes e depois do Cristo vivo…

E O QUE VOCÊ VÊ EM JESUS?! Um Profeta, um Mestre, um Juiz,
O Messias, O Filho de Deus, o Salvador

Se você quiser nos conhecer melhor, rever e compartilhar os episódios do PODCAST SBN, acesse o site podcast.soboasnovas.com.br, estamos também no youtube.com/soboasnovas, e nas plataformas de áudio: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google.

Então é só acessar, assinar nossos canais e compartilhar!

[VINHETA] – O QUE VOCÊ VÊ EM JESUS?!

Esta é a história do nascimento de Jesus – O menino de Nazaré

– Uma história de Natal, como você nunca viu antes!

[MÚSICA]

[VINHETA DE TRANSIÇÃO]

Malaquias em suas últimas palavras proféticas disse:

– “Podem ter certeza disto, diz o Senhor dos Exércitos: O dia do julgamento se aproxima e arde como uma fornalha. Naquele dia, os arrogantes e os perversos serão queimados como palha. Eles serão consumidos, desde as raízes até os ramos. Será um dia de escuridão.”

O Capítulo 4 do livro do Profeta Malaquias é um marco muito importante na história do Povo de Deus. Ele marca o início de um período de mais de 400 anos do silêncio de Deus, um período sem a palavra profética.

Estamos por volta do ano 450 aC, é o período conhecido como período intertestamental — o intervalo entre o Velho e o Novo Testamento. Sem um profeta, o povo de Deus começou a se dividir em partidos e grupos, cada um exigindo o direito de interpretar as escrituras e de liderar o povo à sua maneira.

No entanto, o profeta termina o capítulo com uma promessa:

– “Fiquem atentos! Eu enviarei a vocês o profeta Elias antes do grande e terrível dia do Senhor. Ele fará que o coração dos pais volte para seus filhos e o coração dos filhos volte para seus pais, para que eu não venha e castigue a terra com maldição.” (Malaquias 4:6)

Neste período de 400 anos, o Povo de Deus sofreu com a supremacia Persa, seguida pelas dominações de Alexandre – o Grande, dos Sírios, dos Ptolomeus e culminou com o Domínio Romano.

Foi uma longa, uma longa noite de confusão, que só terminou quando Deus enviou um novo profeta, para iniciar uma nova dispensação.

Dispensação significa um período de separação e provação. Um novo período no plano de Deus para salvar a humanidade.

O novo profeta seria João Batista, a encarnação prometida do Profeta Elias. E ele viria para anunciar que chegou a hora do cumprimento da promessa declarada pelos profetas Miquéias, Jeremias, Zacarias e Isaías.

Era a profecia mais esperada de todos os tempos – a vinda do Messias.

Aquele que nasceria da linhagem de Davi, para apascentar seu rebanho, que seria sábio e exerceria o direito e a justiça sobre a terra, e o Espírito de Deus estaria sobre Ele.

– “Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel, que significa Deus conosco.” Conforme profetizou Isaías no capítulo 7 de seu livro.

Eram tempos difíceis e sem esperança para o povo de Deus, que sofria com o julgo Romano, sob o reinado do impiedoso Rei Herodes. E, para piorar, o povo se via cego em meio a lideranças religiosas radicais, que funcionavam como se fossem seitas: os Fariseus, os Saduceus, os Escribas, os Essênios e os Herodianos.

Enquanto isto, numa pequena vila chamada Nazaré, uma jovem camponesa, chamada Maria, recebe a visita do anjo Gabriel, que lhe diz:

– “Não tenha medo! Você foi abençoada por Deus! Você ficará grávida e dará à luz a um filho… Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo. O Senhor Deus dará a ele o trono de seu pai Davi. Ele reinará sobre Israel para sempre e o seu reinado não terá fim…”

Ela ficou muito preocupada:

– “Como será isto, se eu nunca tive relações com homem algum?”

E o anjo respondeu:

– “O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Altíssimo a envolverá com a sua sombra. E o menino que você dará a luz, será chamado Santo, o Filho de Deus”.

Conforme narrou Lucas no capítulo 1.

Os líderes religiosos e doutores da lei conheciam muito bem as profecias e tinham acesso aos rolos e manuscritos da lei, mas não foram capazes de ver o que estava acontecendo…

No entanto, o Evangelho está escrito além dos manuscritos, ele está escrito nas coisas que Deus criou… E, foi assim que os magos e sábios do Oriente, foram inspirados, viram a estrela e a seguiram.

Durante a sua gravidez, Maria foi visitar sua prima Isabel que era estéril. Mas, o anjo ouviu a oração de seu marido Zacarias, que era sacerdote, e ela ficou grávida também. Quando Maria e Isabel se encontraram, elas sentiram, no estremecer de seus ventres, que estavam portando a benção e a esperança para a salvação da humanidade.

– “Você é bendita entre as mulheres e bendito é o fruto que está em seu ventre!”

– “Louvado seja o Senhor nosso Deus! Ele olhou para nossa humilhação e veio nos trazer salvação.”

O cruel Rei Herodes soube, através dos sábios e magos do Oriente, que estava para nascer o Rei dos Judeus e mandou matar os meninos de 2 anos para baixo de Belém e dos arredores. Mas, o anjo do Senhor avisou José e Maria e eles fugiram.

[MÚSICA]

– “E quando chegou o tempo do menino nascer, José e Maria não encontraram nenhuma hospedaria disponível, e então se alojaram em um estábulo. E, ali, Maria deu à luz ao seu filho primogênito, o enfaixou e o deitou numa manjedoura.”

Não muito longe dali, o anjo apareceu também, para alguns pastores e lhes disse:

– “Eu tenho uma boa-nova de grande alegria para vocês: hoje, na cidade de Davi, nasceu o Salvador. Ele é o Messias, o Senhor. Vocês encontrarão a criança envolta em faixas e deitada em uma manjedoura.”

De repente, apareceu, junto com o anjo, uma multidão do exército celestial, louvando a Deus e dizendo:

– “Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na terra entre os homens, a quem ele quer bem.”

E eles saíram correndo e quando encontraram o menino, ficaram admirados.

E um dos pastores, ao ver a criança, perguntou:

– “Qual será o nome do menino?”

E Maria respondeu:

– “O nome dele será Jesus.”

E os pastores voltaram, glorificando e louvando a Deus. E saíram anunciando para todos o que tinham ouvido e visto.

Os magos do Oriente que seguiram a estrela e, também, encontraram o menino, se prostraram e o adoraram. E lhe deram de presente: ouro, incenso e mirra.

Perto de Jerusalém, Isabel também deu à luz à um menino e foi lhe dado o nome de João.

Conforme, narrado em Lucas, no capítulo 2

Segundo os escritos históricos, o rei Herodes, conhecido como “Herodes, o Grande”, morreu em abril do ano 4 aC. E assim José, Maria e o Menino Jesus voltaram para a cidade de Nazaré, conforme narrado por Mateus, no capítulo 2:

– “Depois que Herodes morreu, um anjo do Senhor apareceu em sonho a José, no Egito, e disse: Levante-se, tome o menino e sua mãe, e vá para a terra de Israel, pois estão mortos os que procuravam tirar a vida do menino”.


Enquanto, o povo sofria, sem esperanças, os 2 meninos, Jesus e João, nasceram, conforme a profecia, para dar início à um novo período do plano de Deus para salvar a humanidade.

Os pastores e os magos do Oriente viram o Messias que veio para nascer entre nós, mas a maioria não viu, nem mesmo os líderes religiosos.

Enquanto, João crescia sob os cuidados de Isabel e de Zacarias, o menino Jesus crescia em uma vila pobre e desmerecida, aprendendo carpintaria com seu pai, José, e sob os olhares expectantes de sua Mãe.

E ao redor do Menino de Nazaré as pessoas e o mundo continuavam sem perceber a presença grandiosa do Arquiteto do Universo que veio nascer e viver entre nós.

[MÚSICA]

[VINHETA DE TRANSIÇÃO]

E você?! O que você vê em Jesus?

Maria e Isabel viram nascer de seus ventres, a esperança e a salvação da humanidade.

Herodes viu nele uma ameaça para seu reinado e tentou matá-lo.

Os pastores deram glórias a Deus e saíram anunciando o que viram.

E muitas pessoas ao ouvirem, ficaram admiradas e cheias de esperança.

Os magos do Oriente seguiram a estrela para vê-lo e o adoraram.

Os doutores da lei e religiosos conheciam as profecias e os escritos, mas não o viram.

Muitas pessoas não o viram.

[VINHETA DE TRANSIÇÃO]

Meu pai, bondoso Tu és! Nós te louvamos por que Cristo Jesus veio nascer e viver entre nós. E te louvamos pela graça da salvação, através de sua vida, morte e ressurreição.

Nós te louvamos por que Ele vive! E por esta graça e em nome de Jesus, nós declaramos uma benção sobre a vida do meu irmão e da minha irmã que estão nos ouvindo.

E todos nós dizemos.

Amém!

[VINHETA DE TRANSIÇÃO]

Você pode nos encontrar, nos conhecer, rever e compartilhar este episódio, acesse o site podcast.soboasnovas.com.br, estamos também no youtube.com/soboasnovas, e nos tocadores de áudio: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google.

Então é só acessar, assinar nossos canais, comentar e compartilhar!

Esperamos você no próximo PODCAST!

Feliz Natal!

[VINHETA FECHAMENTO]

– Jonas de Souza Netto

https://soundcloud.com/soboasnovas/ep-natal-o-menino-de-nazare

Série A IGREJA DE JESUS! ATÉ OS CONFINS DA TERRA…, produzida pelo Ministério Só Boas Novas

O AMOR DURARÁ PARA SEMPRE

[VINHETA 1 – ABERTURA]

Olá! Eu sou o Jonas e este é o PODCAST SBN, obrigado por sua companhia! E este é mais um episódio da série: A IGREJA DE JESUS, a história do maior empreendimento de todos os tempos. Venha viajar conosco pelo primeiro século da nossa era, pela revolução que colocou o mundo de cabeça para baixo, no poder do Espírito Santo.

Olá conectados e conectadas! Eu sou a Val! Eu quero você descubra comigo como os discípulos desafiaram os primeiros 100 anos da nossa história e por que eles estavam dispostos a fazer de tudo para levar as Boas novas para todas as pessoas!

Venha nos conhecer no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas, e nos tocadores de áudios: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google. E queremos conhecer você também!

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

[VINHETA ESPECIAL]

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]

Quando Pedro perguntou: SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!

O Mestre lhe respondeu: ATÉ OS CONFINS DA TERRA!

A IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!

Apresentaremos, hoje: “O AMOR DURARÁ PARA SEMPRE”

[MÚSICA]

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

Eu poderia falar todas as línguas que são faladas na terra e até no céu, mas, se não tivesse amor, as minhas palavras seriam como o som de um gongo ou como o barulho de um sino.

Eu poderia ter o dom de anunciar as mensagens de Deus, ter todo o conhecimento, entender todos os segredos e ter tanta fé, que poderia até mover as montanhas, mas, se não tivesse amor, eu não seria nada.

Eu poderia dar tudo o que tenho e até mesmo entregar o meu corpo para ser queimado, mas, se eu não tivesse amor, isso não adiantaria de nada.

Quem ama é paciente e bondoso. Quem ama não é ciumento, nem orgulhoso, nem vaidoso.

Quem ama não é grosseiro nem egoísta; não fica irritado, nem guarda mágoas.

Quem ama não fica alegre quando alguém faz uma coisa errada, mas se alegra quando alguém faz o que é certo.

Quem ama nunca desiste, porém suporta tudo com fé, esperança e paciência.

Existem muitas mensagens espirituais, porém um dia elas serão esquecidas. Existe o dom de falar em línguas estranhas, mas um dia vai passar. E até o conhecimento, também, acabará. Mas, o amor durará para sempre. (1 Coríntios 13:1-8)

O apóstolo Paulo escreveu 2 cartas para as comunidades cristãs em Corinto, entre os anos 54 e 56 de nossa era, provavelmente durante sua terceira viagem missionária. Nestas cartas encontram-se um dos mais importantes textos do apóstolo sobre doutrina e aconselhamento, e são extremamente atuais para nossa vida cristã.

Paulo fundou a Igreja em Corinto em sua segunda viagem missionária, quando encontrou o casal Átila e Priscila. Eles eram uma comunidade próspera, mas, algum tempo depois, sofriam com divisões internas, provocadas por grupos tolerantes à imoralidade sexual, ao orgulho e com visões equivocadas acerca dos dons do Espírito Santo. E estas diferenças estavam distanciando os cristãos dos ensinamentos do Senhor.

A cidade de Corinto era localizada no istmo entre a Grécia continental e o Peloponeso, na Acaia, e possuía conexões comerciais muitos importantes entre a Itália, o Mediterrâneo e a Ásia. Era uma cidade muito rica, abrigava um templo para Vênus, a deusa do amor. E ali aconteciam jogos esportivos que atraiam muitos competidores e havia, também, muita prostituição.

Nesta primeira carta ao Coríntios, o apóstolo trata da importância de viver em santificação, e escreveu sobre lealdade, imoralidade, liberdade, adoração e ressurreição.

Paulo ensinou que a união e pureza moral são vitais para o crescimento e isto só pode ser conseguido com um espírito humilde.

– “Irmãos, suplico-lhes em nome do nosso Senhor Jesus Cristo para que vivam em harmonia uns com os outros e ponham fim às divisões entre vocês. Estejam em acordo no que dizem e unidos em pensamento e propósito. (1 Coríntios 1:10)

Não importa quem planta ou quem rega, mas sim Deus, que faz crescer.

Nós somos colaboradores de Deus, e vocês são a lavoura de Deus e o edifício de Deus.” (1 Coríntios 3:7-9)

O apóstolo, também, ensinou como lidar com os problemas deste mundo materialista e imoral, mergulhado em religiões falsas.

– “Portanto, quando vocês comerem ou beberem, ou fazerem qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus.

Não esqueçam de agir com misericórdia. Não ofendam nem os judeus, nem os gentios, nem a igreja de Deus.

Vejam que eu procuro agradar a todos em tudo o que eu faço. Eu não faço apenas o que é melhor para mim, eu faço o que é melhor para os outros, a fim de que muitos sejam salvos.” (1 Coríntios 10:31-33)

Paulo comparou a vida cristã como uma corrida, e a busca de um prêmio.

– “Assim como um atleta precisa ser disciplinado para ganhar o prêmio, uma medalha de ouro, nós devemos correr para ganhar o prêmio eterno.

Eu estou correndo e lutando com todas as minhas forças nesta corrida e sigo pregando e ajudando os outros para alcançarmos juntos a linha de chegada.” (1 Coríntios 9:25-27)

Na segunda carta, Paulo mostrou a sua alma, seus sofrimentos e angústias pelo reino de Cristo e alertou a comunidade em relação a chegada de falsos apóstolos que colocavam em questão o caráter dele e distorciam a doutrina de Cristo.

– “Cuidado, muitos tem pose de agentes de Cristo. E isto não é de se admirar porque o próprio satanás é capaz de se disfarçar de anjo de luz” (2 Co 11:14)

O apóstolo abriu seu próprio coração com relação às provações de se ser um apóstolo e nos deu dicas profundas para a vida cristã.

– “Quem está em Cristo, se torna uma nova criatura, a velha vida acabou, e começou uma vida nova. (2 Co 5:17)

– “Foi o Senhor que me disse: A minha graça é tudo de que você precisa por que o meu poder é forte quando você está fraco. É por isso, que eu me orgulho de minhas fraquezas, por que é assim que o poder de Deus opera em mim. E eu aceito com prazer fraquezas e insultos, privações, perseguições e aflições que sofro por Cristo. Pois, quando sou fraco, então é que sou forte.” (2 Coríntios 12:9,10)

Paulo, por fim, foi preciso sobre o conhecimento de Cristo e sobre o tempo certo para nossa salvação:

– “Graças a Deus, por que, unidos em Cristo, somos conduzidos para a vitória e, assim, ele nos usa para levar as Boas Novas para todas as pessoas, como um doce perfume. (2 Coríntios 2:14)

– Por isso eu tenho certeza de uma coisa, agora é o “tempo certo”. Hoje é o dia da salvação!” (2 Coríntios 6:2)

A primeira carta aos Coríntios compreende 16 capítulos e a segunda possue 13 capítulos.

Possivelmente, o apóstolo tenha escritos outras epistolas aos Coríntios, especialmente uma denominada “carta triste ou rígida”, que infelizmente se perderam.

[MÚSICA]

Depois da audiência com o Governador Festo e o Rei Agripa, o apóstolo Paulo, conforme seu desejo, foi levado de navio junto com outros prisioneiros para ser julgado perante César.

Eles partiram do porto de Adramítio, no litoral noroeste da província da Ásia, por volta do ano 62 dC, sob a guarda de um oficial romano chamado Júlio, capitão do Regimento Imperial e da companhia de Aristarco, um macedônio de Tessalônica.

Esta seria uma dolorosa viagem para eles e estavam previstas diversas paradas em portos ao longo da costa.

No dia seguinte, eles ancoraram em Sidom e o oficial Júlio permitiu que Paulo desembarcasse para visitar amigos e recebesse ajuda deles.

Em seguida, eles partiram costeando a ilha de Chipre para se protegerem dos ventos contrários. Depois foram por mar aberto, até chegar ao litoral da Cilícia e da Panfília.

Quando aportaram em Mirra, na província de Lícia, o oficial conseguiu um navio egípcio de Alexandria, que estava de partida para a Itália, para os levar.

Foi uma navegação lenta por vários dias, com muita dificuldade, para se aproximar de Cnido. Os ventos estavam muito fortes, e foi difícil para seguirem para Creta, mesmo se protegendo pelo litoral da ilha.

Após costearem a ilha com grande esforço, eles chegaram a Bons Portos, perto da cidade de Laseia.

Eles haviam perdido muito tempo nesta primeira parte da viagem e as condições climáticas se tornaram perigosas para a navegação, por que se aproximava o fim do outono.

E Paulo foi até os oficiais do navio e argumentou:

– “Senhores, se prosseguirmos agora teremos problemas. A única coisa que vejo adiante é um grande desastre, com prejuízos para o navio e para a carga, e perigo para nossas vidas”.

No entanto, o oficial encarregado dos prisioneiros não deu ouvidos a Paulo e seguiu as instruções do capitão e do proprietário do navio. Por que a maioria da tripulação desejava ir à Fenice, que ficava um pouco mais adiante na costa de Creta e em Bons Portos, onde eles estavam, era uma enseada aberta e desconfortável para passar o inverno.

Quando partiram um vento leve estava soprando do Sul e os marinheiros ficaram animados e foram costeando a ilha de Creta.

Mas, de repente, o tempo mudou, um vento Nordeste com a força de um furacão soprou sobre a ilha e nos empurrou para o mar aberto.

A situação ficou crítica, os marinheiros não conseguiram manobrar o navio para ficar de frente para o vento, e ele ficou sem controle e foi arrastado pela tempestade.

Depois de algum tempo navegando pelo lado menos exposto da pequena ilha de Cauda, os marinheiros conseguiram içar o barco salva-vidas que viajava rebocado e amarraram cordas em volta do casco do navio para reforçá-lo.

Havia o grande risco de serem arrastados para os bancos de areia de Sirte, diante do litoral africano, por isso eles baixaram a âncora flutuante para tentar desacelerar o navio e deixaram que o navio fosse levado pelo vento.

No dia seguinte, os ventos com força de vendaval continuavam a castigar o navio, e a tripulação começou a lançar a carga ao mar. E no terceiro dia, removeram até mesmo parte do equipamento do navio e jogaram fora.

A tempestade ficou mais intensa e não dava trégua, O vento e as ondas batiam no barco sem piedade. Eles ficaram à deriva, sem ver o sol e as estrelas e sem comida por vários dias, até perderam todas as esperanças.

Então, Paulo percebendo a tragédia que estava à sua volta, reuniu a tripulação e disse:

– “Os senhores deveriam ter me ouvido em Creta e nos ter deixado em Bons Portos. Teríamos evitado toda esta provação e estes prejuízos.”

(Atos 27:1-21)

[MÚSICA]

SENHOR, PARA ONDE IREMOS?! – Até os confins da terra!

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]


Val, o que você aprendeu hoje?!

– As cartas aos Coríntios é uma declaração do amor de Deus ao homem. Imagine quantos males podem ser evitados com sua prática.

– Com certeza! Você viu como Paulo abria mão de tudo o que parecia sensato e lógico. Ele inverte a lógica das visões sociais de sua época… Ao invés de usar qualquer forma de poder, ele permite que Deus haja através de suas fraquezas.

– Outra coisa, é que mesmo estando no centro da vontade pode enfrentar sofrimentos…

– Mesmo com sofrimentos a melhor alternativa é estar com o Senhor, por que tudo coopera para o bem daqueles que lhe amam…

E o que é a Igreja para você?! Queremos saber sua opinião… Deixe seus comentários em nossas redes

 [VINHETA 6 – ESTA É A HISTÓRIA DA IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!]

No próximo episódio, veremos os sofrimentos de Paulo em sua viagem à Roma durante um Naufrágio perto da Ilha de Malta.

E veremos, também, a grandeza de Paulo em sua carta ao amigo Filemon, intercedendo por seu escravo convertido.

No próximo episódio venha ver:

A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra!

Meu pai, nós somos gratos e te louvamos por sua graça e misericórdia, por nos criar e pela salvação em Cristo Jesus. Nós te louvamos por nos incluir em seus planos e por aqueles que, antes de nós, lutaram e deram seu suor e sangue para que as boas novas do Evangelho chegassem até aqui.

E oramos, em nome de Jesus, para que o Senhor abençoe a tua Igreja, nos ensine a te servir e abençoe a todos aqueles que nos ouvem.

E todos nós dizemos… Amém!


[VINHETA 5 – SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!]

Quer apoiar o Ministério Só Boas Novas?! Acesse www.soboasnovas.com.br e clique no botão DOAR.

E, se você se sentiu abençoado com este episódio, você pode nos ajudar divulgando e compartilhando este e outros materiais do PODCAST SBN. Acesse no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas e nos tocadores de áudios: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google.
Então acesse, assine e comente em nossos canais, e, principalmente, compartilhe com seus amigos!

[VINHETA 2 – A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra…]

Esperamos você no próximo episódio! Até lá!

[VINHETA 4 – FECHAMENTO]
– Jonas de Souza Netto

https://soundcloud.com/soboasnovas/ep-i16-o-amor-durara-para-sempre

Série A IGREJA DE JESUS! ATÉ OS CONFINS DA TERRA…, produzida pelo Ministério Só Boas Novas

INFINITAMENTE MAIS

[VINHETA 1 – ABERTURA]

Olá! Eu sou o Jonas e este é o PODCAST SBN, obrigado por sua companhia! Vamos para mais um episódio da serie: A IGREJA DE JESUS, a história do maior empreendimento de todos os tempos…

Olá conectados e conectadas! Eu sou a Val! Venham viajar e se emocionar comigo pelo primeiro século da nossa era, pela revolução que colocou o mundo de cabeça para baixo, no poder do Espírito Santo…

Os discípulos desafiaram os primeiros 100 anos da nossa história, com lutas, suor e sangue. Eles fizeram de tudo para levar as Boas novas para todas as pessoas!

Venha nos conhecer no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas, e nas plataformas de áudios: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google. E queremos conhecer você também!

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

[VINHETA ESPECIAL]

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]

Quando Pedro perguntou: SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!

O Mestre lhe respondeu: ATÉ OS CONFINS DA TERRA!

A IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!

Apresentaremos, hoje: “Salvos pela Graça / Infinitamente mais”

[MÚSICA]

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

Durante sua prisão em Roma, por volta do ano 61 dC, Paulo escreveu uma carta ao Efésios. Esta carta é considerada uma carta magna da eclesiologia e trata da comunhão dos cristãos com Jesus e com seu próximo, ou seja, como ser a Igreja de Cristo.

A cidade de Éfeso foi uma das cidades mais importantes de seu tempo com uma economia muito próspera. Ela já era famosa mesmo antes de se tornar uma província romana.

Havia muita religiosidade entre seus habitantes, com destaque para a adoração a deusa Artemis, conhecida, também, como Diana pela mitologia romana. O templo erguido em sua homenagem foi considerado uma das sete maravilhas do mundo.

As religiosidades pagãs existentes em Éfeso foram o grande desafio para o desenvolvimento do cristianismo, mas não impediram o estabelecimento de comunidades cristãs fervorosas e fortes, por conta dos trabalhos de Paulo, Barnabé, Áquila e Priscila, Timóteo e, mais tarde, de João.

Paulo estabeleceu um vínculo muito próximo aos efésios e na sua terceira viagem missionária, ficou com eles por 3 anos.

A carta tem uma construção textual bem no estilo do apóstolo e aborda temas muito importantes como o propósito de Deus, Jesus como o centro do cristianismo, a Igreja viva e atuante, a família de Deus e o comportamento do cristão. Ela possui muita semelhança temática com sua Carta aos Colossenses, que teria sido escrita no mesmo período. Possivelmente, esta carta sofreria muita rejeição se não trouxesse a assinatura incontestável do apóstolo Paulo.

– “Eu, como apóstolo de Cristo, escrevo esta carta para vocês, povo santo em Éfeso, seguidores fiéis de Cristo Jesus, para que Deus, nosso Pai, e o Senhor Jesus Cristo lhes deem graça e paz.” (Efésios 1:1,2)

O apóstolo escreve para encorajar, confortar e admoestar os cristãos efésios, como parte da Igreja em Cristo. A sua mensagem possui um conteúdo muito prático acerca da vida cristã e ressalta que somente a unidade em Cristo, pode dar vitória nas batalhas e receber toda sorte de bênçãos espirituais.

Paulo começa descrevendo os cristãos como santos e como filhos adotados por meio de Jesus Cristo, o Espírito Santo como a garantia de nossa herança. E que precisamos crescer no conhecimento da grandeza de Deus.

– “Vocês são salvos pela graça, por meio da fé. Isso não vem de vocês, é uma dádiva de Deus. E não é uma recompensa pela prática de boas obras, para que ninguém venha a se orgulhar.” (Efésios 2:8,9)

Ele descreve a Igreja como um corpo, do qual fazemos parte, e Jesus é o cabeça e tem autoridade sobre ela. E o seu propósito é crescer como um edifício, abrigando judeus e gentios.

– “Vocês não são estranhos e forasteiros, mas concidadãos do povo santo e membros da família de Deus. Juntos, somos sua casa, edificados sobre os alicerces dos apóstolos e dos profetas. E a pedra angular é o próprio Cristo Jesus. Unidos, somos um templo santo para o Senhor.” (Efésios 2:19-21)

Paulo declara que os planos de Deus são um grande mistério, no entanto, é um grande privilégio conhecer e anunciar as boas novas e, mesmo diante de provações, é uma honra seguir sem desanimar, com ousadia e confiança.

– “Toda a glória seja a Deus que poderosamente atua em nós. Ele é capaz de realizar infinitamente mais do que poderíamos pedir ou imaginar.” (Efésios 3:20)

O apóstolo ensina uma série de recomendações práticas para se despojar do velho homem, se revestir do novo homem e ser um imitador de Deus. Ele nos exorta a sermos a luz do Senhor diante das trevas, não se embriagando com vinho, mas transbordando no Espírito. E, aconselha obediência e amor nas relações entre maridos e esposas, entre pais e filhos e entre senhores e servos.

– “Sejam sempre humildes e amáveis, tolerem pacientemente uns aos outros em amor… Livrem-se de toda amargura, raiva, ira, das palavras ásperas e da calúnia, e de todo tipo de maldade. Em vez disso, tenham compaixão uns dos outros e perdoem como Deus os perdoou em Cristo.” (Efésios 4:2,32)

No final da carta, Paulo traz uma receita contra as tentações e estratégias do diabo, contra os poderes malignos que não podemos ver. Através de elementos metafóricos de uma batalha, ele nos posiciona como soldados, que devem usar a armadura de Deus, o cinto da verdade, a couraça da justiça, os calçados, o escudo da fé, o capacete e a espada do Espírito que é sua Palavra, para se manterem firmes na fé.

– “A oração é essencial nesta luta. Orem o tempo todo com fé. Permaneçam atentos e se encorajem mutuamente, para que ninguém venha a cair ou vacilar.” (Efésios 6:18)

O apóstolo João, também, menciona a Igreja de Éfeso, em Apocalipse, capítulo 2:

– “Eu vi o seu trabalho árduo e sua persistência em meu nome. Eu vi, também, que você não tolera os perversos, os falsos apóstolos e os mentirosos. Mas, eu tenho algo contra você: você se desviou do amor que tinha no princípio. Veja onde você caiu, arrependa-se e volte a praticar as obras que no início você praticava…” (Apocalipse 2:2-5)

O objetivo de Paulo com os cristãos de Éfeso, era promover a unidade em Cristo entre eles e leva-los ao amadurecimento no Espírito Santo.

– “Irmãos, orem para que eu saiba o que dizer e tenha coragem de falar no tempo certo. Eu estou preso em correntes, mas continuo a anunciar as boas novas como embaixador de Deus.

Adeus amigos. A paz, o amor e  a fé que vêm de Deus, e a graça do nosso Senhor Jesus Cristo estejam sempre com vocês.” (Efésios 1-6)

[MÚSICA]

Em meados do ano 62 de nossa era, o apóstolo Paulo estava preso em Cesareia e, após todas tentativas frustradas dos líderes para levá-lo para ser julgado por eles em Jerusalém, apelou para o Governador Festo para ser julgado por César.

O governador o considerava inocente, mas queria ficar bem com o Judeus. Mas, enquanto fazia os preparativos para levar Paulo à Cesar, recebeu a visita do Rei Agripa que solicitou ouvir o caso.

Festo preparou uma audiência e chamou Paulo para se defender perante o Rei, sua esposa Berenice e algumas pessoas importantes da cidade:

– “Você pode falar em sua defesa.”

– “Rei Agripa, me considero feliz, hoje, pela oportunidade de lhe apresentar minha defesa contra todas as acusações feitas pelos líderes judeus, por que sei que o senhor conhece bem todos os seus costumes e controvérsias. Por isso, peço que me ouça com paciência.”

Paulo começou sua defesa falando de sua educação judaica, desde a infância, e de sua vida como fariseu, a seita mais rígida da religião judaica.

– “Rei Agripa, eu estou sendo julgado por causa de minha esperança no cumprimento da promessa feita por Deus a nossos antepassados. A ressurreição dos mortos.”

O apóstolo explicou que, no passado, se opôs ao nome de Jesus, o nazareno. E com autorização dos principais sacerdotes, perseguiu com violência, prendeu e votou pela condenação à morte dos seguidores de Jesus, em Jerusalém e até em cidades estrangeiras.

– “Certo dia, eu estava a caminho de Damasco, numa dessas missões autorizada pelos sacerdotes. Por volta do meio-dia, uma luz intensa vinda do céu, brilhou sobre mim e meus companheiros e todos nós caímos no chão.”

Paulo contou para o Rei, como o Senhor Jesus apareceu, falou com ele e o enviou para levar a mensagem das boas novas aos gentios. Para pregar sobre o perdão e a salvação a todas as pessoas.

– “Foi assim, rei Agripa, que obedeci à visão celestial. E anunciei a mensagem primeiro em Damasco, depois em Jerusalém e em toda a Judeia, para que judeus e gentios se arrependam e se voltem para Deus.”

Ele relatou como alguns judeus o prenderam no templo por anunciar essa mensagem e tentaram matá-lo. E como Deus o protegeu até aquele momento, para testemunhar a todos, dos mais simples até os mais importantes, sobre a morte e ressureição de Jesus.

E, de repente, o Governador Festo não se conteve e gritou:

– “Paulo, você está louco! Foi o excesso de estudo que fez você perder o juízo!”

– “Com todo o respeito, excelentíssimo Festo, eu não estou louco. Tenho plena consciência do que estou dizendo e o rei Agripa sabe dessas coisas. Expresso-me com ousadia por que o que estou apresentando é verdadeiro.”

E olhando para o Rei Agripa perguntou:

– “Rei Agripa, o senhor acredita nos profetas? Eu sei que sim.”

– “Você acredita que pode me convencer a me tornar cristão em tão pouco tempo?”

– “Em pouco ou em muito tempo, eu oro a Deus para que tanto o senhor como todos que estão aqui se tornem como eu, exceto por estas correntes”.

Naquele momento, o rei, o governador, Berenice e todos os outros se levantaram e se retiraram. E enquanto saíam, Festo disse para Agripa:

– “Esse homem não fez nada que mereça morte ou prisão.”

– “Ele poderia ser posto em liberdade se não tivesse apelado a César.” (Atos 26:1-32)

O apóstolo Paulo estava apresentando sua defesa e diante de oportunidades para testemunhar das Boas Novas.

Para o Governador Festo, parecia loucura e para o Rei Agripa era muita ousadia. Mas, Paulo sabia que:

– “Deus escolhe as coisas que o mundo considera loucura para envergonhar os sábios, assim como escolhe as coisas fracas para envergonhar os poderosos.

Deus escolhe coisas desprezadas pelo mundo, tidas como insignificantes, e as usa para reduzir a nada aquilo que o mundo considera importante. Para  que ninguém jamais se orgulhe na presença de Deus.” (1 Coríntios 1:27-29)

[MÚSICA]

SENHOR, PARA ONDE IREMOS?! – Até os confins da terra!

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]


Val, o que você aprendeu hoje?!

– As comunidades estavam em crescimento e precisavam de apoio diante de seus desafios…

– Os efésios eram uma grande comunidade e estava situada em uma cidade estratégica para que o Projeto de Jesus fosse visto…

– Ficou imaginando aquela da audiência diante do Governador Festo e do Rei Agripa, o tribunal, e Paulo se defendendo com ousadia…

– Paulo transformou a audiência num púlpito e a sua defesa em uma pregação sobre as boas novas…

E o que é a Igreja para você?! Queremos saber sua opinião… Deixe seus comentários em nossas redes

 [VINHETA 6 – ESTA É A HISTÓRIA DA IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!]

No próximo episódio, veremos os maravilhosos aconselhamentos de Paulo às comunidades cristão de Corinto.

E veremos, também, Paulo em sua difícil viagem à Roma, enfrentando tempestade e naufrágio.

No próximo episódio venha ver:

A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra!

Meu pai, nós somos gratos e te louvamos por sua graça e misericórdia, por nos criar e pela salvação em Cristo Jesus. Nós te louvamos por nos incluir em seus planos e por aqueles que, antes de nós, lutaram e deram seu suor e sangue para que as boas novas do Evangelho chegassem até aqui.

E oramos, em nome de Jesus, para que o Senhor abençoe a tua Igreja, nos ensine a te servir e abençoe a todos aqueles que nos ouvem.

E todos nós dizemos… Amém!


[VINHETA 5 – SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!]

Quer apoiar o Ministério Só Boas Novas?! Acesse www.soboasnovas.com.br e clique no botão DOAR.

E, se você se sentiu abençoado com este episódio, você pode nos ajudar divulgando e compartilhando este e outros materiais do PODCAST SBN. Acesse no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas e nos tocadores de áudios: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google.
Então acesse, assine e comente em nossos canais, e, principalmente, compartilhe com seus amigos!

[VINHETA 2 – A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra…]

Esperamos você no próximo episódio! Até lá!


[VINHETA 4 – FECHAMENTO]
– Jonas de Souza Netto

https://soundcloud.com/soboasnovas/ep-i15-infinitamente-mais

Série A IGREJA DE JESUS! ATÉ OS CONFINS DA TERRA…, produzida pelo Ministério Só Boas Novas

NÃO SE CANSE DE FAZER O BEM

[VINHETA 1 – ABERTURA]

Olá! Eu sou o Jonas e este é o PODCAST SBN, obrigado por sua companhia! Vamos para mais um episódio da serie: A IGREJA DE JESUS, a história do maior empreendimento de todos os tempos…

Olá conectados e conectadas! Eu sou a Val! Venham viajar e se emocionar comigo pelo primeiro século da nossa era, pela revolução que colocou o mundo de cabeça para baixo, no poder do Espírito Santo…

Os discípulos desafiaram os primeiros 100 anos da nossa história, com lutas, suor e sangue. Eles fizeram de tudo para levar as Boas novas para todas as pessoas!

Venha nos conhecer no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas, e nas plataformas de áudios: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google. E queremos conhecer você também!

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

[VINHETA ESPECIAL]

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]

Quando Pedro perguntou: SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!

O Mestre lhe respondeu: ATÉ OS CONFINS DA TERRA!

A IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!

Apresentaremos, hoje: “Não se canse de fazer o bem”

[MÚSICA]

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

O Apóstolo Paulo era preocupado com as comunidades cristãs que ele teve contato e ajudou a fundar. E ele escreveu cartas para algumas delas, com o objetivo de fortalecer a sua fé e promover ensinamentos para seu crescimento.

Por volta do ano 55 dC, provavelmente durante sua terceira viagem missionária, Paulo escreveu uma Carta aos Gálatas. Na Galácia haviam muitas comunidades cristãs que foram visitadas por ele.

Paulo mostra, nesta Carta, a sua preocupação com os conflitos e crises dentro das comunidades da Galácia. Haviam ali riscos provocados pelos ensinamentos equivocados vindo do judaísmo, a respeito da necessidade da circuncisão e observância dos rituais da lei de Moisés. E isto levavam os cristãos da Galácia a adotarem práticas pagãs e falsas doutrinas, e assim “corromper o Evangelho de Cristo”, levando à escravidão espiritual e a se afastarem da verdade (Gálatas 1.6-7, 4.10, 6.12).

A Carta aos Gálatas é o escrito mais fervoroso de Paulo. Além das repreensões diante das doutrinas erradas que estavam sendo ensinadas, ele tratou com muito foco da doutrina da justificação, não pelas obras da lei de Moisés, mas pela fé em Jesus Cristo e analisou “as obras da carne” e “o fruto do Espírito” (Gálatas 5.16–25).

O pano de fundo da Carta aos Gálatas é a controvérsia legalista que vinha desde o Concílio de Jerusalém e Paulo começa a Carta frustrado se apresentando como um apóstolo escolhido não por homem, mas por Jesus Cristo. E ele enfatiza que “a mensagem das boas-novas por ele anunciada não provém do raciocínio humano… mas, recebida da revelação de Jesus Cristo”.

Paulo escreve nesta carta uma defesa da salvação diante dos ataques que ameaçavam os fundamentos do cristianismo, a justificação e santificação somente por meio da fé. E ele chega até a confrontar a atitude de Pedro:

– “No começo, quando chegou, ele comia com os gentios. Mais tarde, porém, quando vieram alguns amigos de Tiago, começou a se afastar, com medo daqueles que insistiam na necessidade de circuncisão. Como resultado, outros judeus imitaram a hipocrisia de Pedro, e até mesmo Barnabé se deixou levar por ela” (Gálatas 2.12,13).

Paulo defende a mensagem central do Evangelho e ensina que Abraão era um exemplo de pessoa que foi justificada pela fé e não pelas obras da lei de Moisés:

– “… sabemos que uma pessoa é declarada justa diante de Deus pela fé em Jesus Cristo, e não pela obediência à lei…” (Gálatas 2:16).

E ele explica que o propósito da lei de Moisés era servir de “educadora, para nos conduzir a Cristo” (Gálatas 3.24).

– “… agora você já não é escravo, mas filho de Deus. E, uma vez que é filho, Deus o tornou herdeiro dele” (Gálatas 4.7).

Paulo exorta e convida os Cristãos a permanecerem firmes no Evangelho anunciado e vivido por Cristo.

Ele propõe uma nova vida, a vida da liberdade em Jesus, guiada pelo Espírito. E assim, os guiados pelo Espírito não seguem os desejos da natureza humana: a imoralidade sexual, a impureza, a sensualidade, a idolatria, a feitiçaria, a hostilidade, as discórdias, os ciúmes, os acessos de raiva, as ambições egoístas, as dissensões, as divisões, a inveja, as bebedeiras, as festanças desregradas e outros pecados semelhantes. Quem pratica essas coisas não herdará o reino de Deus.

Paulo ensinou, também, que aqueles que vivem e aproveitam o “fruto do Espírito”, não vivem a hipocrisia da perseguição e falsidade, mas “carregam os fardos uns dos outros” (Gálatas 6.2) e “não se cansam de fazer o bem” (Gálatas 6.9).  

Aprendemos com Paulo que em nossa vida e missão, colhemos aquilo que plantamos. Se vivemos segundo o Espírito Santo, plantamos e colhemos os seus Frutos: “o amor, a alegria, a paz, a paciência, a amabilidade, a bondade, a fidelidade, a mansidão e o domínio próprio” (Gálatas 5,23).

– “Fui crucificado com Cristo; assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. Portanto, vivo neste corpo terreno pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim.”

A Carta aos Gálatas é uma grandiosa defesa da liberdade cristã, da vida guiado pelo Espírito, em oposição ao ensino dos judaizantes e às tradições.

– “Quanto a mim, que eu jamais me glorie em qualquer coisa, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo”.

– “Irmãos, que a graça de nosso Senhor Jesus Cristo esteja com o espírito de vocês. Amém” (Gálatas 1-6).

[MÚSICA]

Por volta do ano 59 de nossa era, Festo chegou a Cesareia para assumir o Governo da Província. Passados alguns dias, ele foi a Jerusalém e ouviu os sacerdotes e líderes judeus e as acusações contra Paulo. E eles solicitaram a transferência de Paulo para Jerusalém, por que planejavam matá-lo, mas o Governador respondeu:

– “Alguns de vocês que têm autoridade podem voltar comigo à Cesareia e apresentar suas acusações sobre o que Paulo tenha feito de errado.”

Quando Festo voltou a Cesareia, convocou o tribunal e mandou que trouxessem Paulo. E ele diante das acusações graves e sem provas dos judeus, apresentou sua defesa perante o Governador:

– “Governador, eu não sou culpado de nenhum crime contra as leis judaicas, nem contra o templo, nem contra o governo romano”.

Festo tinha a intenção de agradar os líderes judeus e disse para Paulo:

– “Você está disposto a ir a Jerusalém e ali ser julgado diante de mim?”

– “Este é um tribunal oficial romano, eu quero ser julgado aqui mesmo. O senhor sabe muito bem que não fiz nenhum mal aos judeus. Mas, se fiz algo que mereça a pena de morte, não me recuso a morrer. Eu sou inocente, ninguém tem o direito de me entregar a estes homens. Eu apelo para César!”.

O Governador Festo consultou seus conselheiros. E, em seguida, virou-se para Paulo e respondeu:

– “Muito bem, você apelou para César, então você irá para César”.

Alguns dias depois, o rei Agripa chegou com sua irmã, Berenice, para visitar Festo e ficou com ele vários dias. E o Governador falou para ele sobre o caso de Paulo:

– “Eu tenho aqui um prisioneiro que Félix deixou para mim e os principais sacerdotes e líderes judeus apresentaram acusações contra ele e pediram que eu o condenasse. Mas, a lei romana não condena ninguém sem julgamento e sem que o acusado tenha a oportunidade de se defender”.

Festo explicou que os judeus só apresentaram questões ligadas à sua religião e sobre um morto chamado Jesus, que Paulo insiste que está vivo. E, diante disto, Paulo apelou ao imperador para que julgue seu caso.

– “E assim, eu mantive ele sob custódia enquanto providenciava o seu envio à César.”

– “É um caso muito interessante, Eu gostaria de ouvir esse homem pessoalmente”.

– “É mesmo?! Então, vou providenciar para você ouví-lo amanhã mesmo!”

No dia seguinte foi preparada a audiência, e o Rei Agripa e sua esposa Berenice chegaram com grande pompa, acompanhados de oficiais militares e homens importantes da cidade.

O Governador Festo mandou trazer Paulo e disse:

– “Rei Agripa e demais presentes, este é o homem cuja morte é exigida pelos judeus tanto daqui como de Jerusalém. Em minha opinião, ele não fez coisa alguma para merecer a morte. Contudo, uma vez que apelou ao imperador para que julgue seu caso, eu decidi enviá-lo a Roma.”

O Governador explicou que não sabia o que escrever ao imperador sobre Paulo, pois não havia nenhuma acusação clara contra ele.

– “Eu trouxe ele aqui hoje, diante dos senhores, especialmente do rei Agripa, para que o interroguemos e eu tenha algo para escrever, alguma acusação, para apresenta-lo como prisioneiro ao imperador”. (Atos 25:1-27)

Paulo sabia os contextos da política e da religião da época e, com sabedoria, usou todos os recursos dos direitos que lhe cabiam como cidadão.

Ele sabia da sua inocência e não tinha medo de falar a verdade.

[MÚSICA]

SENHOR, PARA ONDE IREMOS?! – Até os confins da terra!

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]


Val, o que você aprendeu hoje?!

– Eu não entendi se devo ou não cumprir a Lei…

– Jesus cumpriu toda a Lei por que Ele era perfeito, não tinha pecado. E Ele nos ensinou que o Espírito Santo nos ajudaria nesta tarefa. E Paulo nos ensinou que cumprir a Lei é suportar uns aos outros…

– Como é possível demonstrar a fé sem a obediência?!

– Na realidade a fé, conforme o próprio Paulo ensinou, se opera pelo amor. Para termos fé, precisamos amar o Senhor e amar as pessoas…

– Paulo pregava e escrevia cartas na prisão!?

– Paulo era entregue a missão, tinha fé e coragem. E principalmente tinha o sentido da urgência, por que sabia do pouco tempo que lhe restava…

E o que é a Igreja para você?! Queremos saber sua opinião… Deixe seus comentários em nossas redes

 [VINHETA 6 – ESTA É A HISTÓRIA DA IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!]

No próximo episódio, veremos a emocionante defesa de Paulo perante o Governador Festo e o Rei Agripa.

E veremos, também, a profundidade doutrinal de Paulo em sua Carta aos Efésios.

No próximo episódio venha ver:

A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra!

Meu pai, nós somos gratos e te louvamos por sua graça e misericórdia, por nos criar e pela salvação em Cristo Jesus. Nós te louvamos por nos incluir em seus planos e por aqueles que, antes de nós, lutaram e deram seu suor e sangue para que as boas novas do Evangelho chegassem até aqui.

E oramos, em nome de Jesus, para que o Senhor abençoe a tua Igreja, nos ensine a te servir e abençoe a todos aqueles que nos ouvem.

E todos nós dizemos… Amém!


[VINHETA 5 – SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!]

Quer apoiar o Ministério Só Boas Novas?! Acesse www.soboasnovas.com.br e clique no botão DOAR.

E, se você se sentiu abençoado com este episódio, você pode nos ajudar divulgando e compartilhando este e outros materiais do PODCAST SBN. Acesse no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas e nos tocadores de áudios: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google.
Então acesse, assine e comente em nossos canais, e, principalmente, compartilhe com seus amigos!

[VINHETA 2 – A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra…]

Esperamos você no próximo episódio! Até lá!


[VINHETA 4 – FECHAMENTO]
– Jonas de Souza Netto

https://soundcloud.com/soboasnovas/ep-i14-nao-se-canse-de-fazer-o-bem

Série A IGREJA DE JESUS! ATÉ OS CONFINS DA TERRA…, produzida pelo Ministério Só Boas Novas

EU ESTOU COM VOCÊ!

[VINHETA 1 – ABERTURA]

Olá! Eu sou o Jonas e este é o PODCAST SBN, obrigado por sua companhia! Vamos para mais um episódio da serie: A IGREJA DE JESUS, a história do maior empreendimento de todos os tempos…

Olá conectados e conectadas! Eu sou a Val! Venham viajar e se emocionar comigo pelo primeiro século da nossa era, pela revolução que colocou o mundo de cabeça para baixo, no poder do Espírito Santo…

Os discípulos desafiaram os primeiros 100 anos da nossa história, com lutas, suor e sangue. Eles fizeram de tudo para levar as Boas novas para todas as pessoas!

Venha nos conhecer no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas, e nas plataformas de áudios: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google. E queremos conhecer você também!

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

[VINHETA ESPECIAL]

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]

Quando Pedro perguntou: SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!

O Mestre lhe respondeu: ATÉ OS CONFINS DA TERRA!

A IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!

Apresentaremos, hoje: “Eu estou com você!”

[MÚSICA]

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

O Apóstolo Paulo escreveu cerca de 14 cartas endereçadas aos membros e as comunidades cristãs que ele teve contato e ajudou a fundar. Ele escreveu aos Romanos, aos Coríntios, aos Gálatas, aos Efésios, aos Filipenses, aos Colossenses, aos Tessalonicenses, à Timóteo, à Tito, à Filemom.

Embora a autoria da carta aos Hebreus lhe seja atribuída, isto não é aceito pela maioria dos pesquisadores.

As cartas foram escritas, possivelmente, entre o ano 50 e 65 d.C., durante as suas viagens e principalmente durante suas prisões.

As epístolas paulinas possuem objetivos eclesiásticos, pastorais e até pessoal, como é caso da carta à Filemom. E, provavelmente, a primeira carta a ser escrita seja aos Gálatas, por volta do ano 50 da nossa era.

Acredita-se, também, que Paulo tenha escrito outras cartas, cujos manuscritos tenham se perdido.

Estamos por volta do ano 60 de nossa era, depois de Paulo chegar à Jerusalém e sofrer com a violência dos líderes religiosos, que tentaram matá-lo, ele foi preso pelo Comandante da Guarda.

Porém, quando Paulo disse que possuía a cidadania romana e merecia um julgamento justo, o Oficial o devolveu aos principais sacerdotes e ao Conselho para ver o que pretendiam fazer com ele e com as acusações.

Quando Paulo foi levado e entregue ao conselho dos líderes do povo, olhou atentamente para eles e começou a se defender:

– “Irmãos, tenho vivido diante de Deus com a consciência limpa.”

No mesmo instante começa a se instalar um alvoroço e o sacerdote pediu para o esbofetearem. E Paulo ficou furioso e disse:

– “Deus o ferirá, seu grande hipócrita! Que espécie de juiz é o senhor, desrespeitando a lei e mandando me agredir dessa forma?”

– “Como você ousa insultar o sumo sacerdote de Deus?”

– “Irmãos, eu sou fariseu, assim como eram meus antepassados! E estou sendo julgado por causa de minha esperança na ressurreição dos mortos!”

As suas palavras tinham destino certo, por que ali se encontravam fariseus e saduceus. E os saduceus não acreditavam em ressurreição, nem anjos ou espíritos. Com isso a discussão entre eles ficou enérgica, e os fariseus gritavam:

– “Não vemos nada de errado com este homem! Talvez um espírito ou um anjo tenha falado com ele!”

Quando a violência começou a tomar conta da reunião, o comandante temendo que Paulo fosse despedaçado ali mesmo, ordenou que os soldados o levassem de volta à fortaleza.

Diante das dificuldades, Paulo colocou sua confiança em Deus e o Senhor o abraçou e cuidou dele. E naquela noite, o Senhor apareceu para ele e disse:

– “Tenha ânimo, Paulo! Eu estou cuidando de você! Assim como você testemunhou a meu respeito aqui em Jerusalém, agora chegou a hora de testemunhar, também, em Roma”.

Os judeus não se deram por vencidos e juntaram mais de quarenta homens, na manhã seguinte, para matar Paulo. E eles foram aos principais sacerdotes e aos líderes do povo e disseram:

 – “Juramos solenemente, sob pena de castigo divino, que não comeremos nem beberemos antes de matar Paulo.”

– “E vocês podem nos ajudar. Peçam ao conselho dos líderes do povo para que o comandante traga Paulo de volta ao conselho, fingindo que precisamos examinar o caso com mais detalhes. E nós o mataremos no caminho, antes que ele chegue aqui”.

Mas, o Senhor estava no controle de tudo, e um sobrinho de Paulo, soube do plano deles e correu até a fortaleza para lhe contar.

Quando Paulo recebeu esta informação, mandou chamar um dos oficiais romanos e pediu que levasse o rapaz ao Comandante da guarda:

– “Este rapaz tem algo importante para lhe contar.”

– “O que é que você tem a me dizer?”

– “Alguns judeus estão tramando contra Paulo. Eles vão pedir para que o senhor leve ele para uma reunião do conselho amanhã, fingindo que desejam obter mais informações. Mas, na verdade, eles prepararam uma emboscada com mais de quarenta homens para matar Paulo. Eles estão de prontidão no caminho.”

– “Ok. Mas, não diga nada sobre isto a ninguém.”

Então, o comandante chamou rapidamente dois de seus oficiais, e ordenou:

– “Preparem duzentos soldados para partir a Cesareia hoje à noite. Levem também duzentos lanceiros e setenta soldados a cavalo. E providenciem um cavalo para Paulo e levem ele em segurança até o governador Félix.”

Diante da conspiração dos 40 homens, o Senhor proveu um batalhão de 470 soldados para protegê-lo e levá-lo em segurança ao Governador, com uma carta escrita pelo Comandante que explicava o que estava ocorrendo e a necessidade de segurança para um cidadão romano, diante da conspiração do conselho supremo dos judeus para matá-lo.

E informou aos acusadores para apresentarem suas denúncias diretamente ao Governador.

Naquela noite, os soldados levaram Paulo até Antipátride. E quando chegaram a Cesareia, apresentaram Paulo e a carta ao governador Félix.

Depois que leu a carta, o Governador perguntou para Paulo:

– “De que província você é?”

– “Eu sou da Cilícia.”

– “Eu quero ouvir pessoalmente este caso, quando seus acusadores chegarem.”

E ordenou que Paulo fosse mantido na prisão do palácio que Herodes havia construído até o julgamento. (Atos 23:1-35)

[MÚSICA]

Passados cinco dias, o sumo sacerdote Ananias, junto com alguns dos líderes do povo e um advogado chamado Tértulo, foram até o Governador Felix.

E no tribunal o advogado apresentou as acusações contra Paulo, dizendo: – “Excelentíssimo Félix, o senhor tem proporcionado a nós, judeus, um longo período de paz e, com perspicácia, tem realizado reformas que muito nos beneficiam. E não desejo tomar muito seu tempo, apenas uma breve atenção para este caso.”

E prosseguiu:

– “Constatamos que este homem é um perturbador, que vive causando tumultos entre os judeus de todo o mundo. Ele é o principal líder da seita conhecida como os Nazarenos.

Quando o prendemos, para julgá-lo de acordo com nossa lei, Lísias, o comandante do regimento, usou de força e o tirou de nossas mãos, e informou para apresentar as nossas acusações perante o senhor. E elas podem ser confirmadas quando o senhor interrogar Paulo pessoalmente.”

Em seguida, o Governador acenou para que Paulo se defendesse. E ele, corajosamente, disse:

– “Sei que o senhor tem julgado questões dos judeus há muitos anos e, estou feliz em apresentar minha defesa na sua presença.

O senhor poderá verificar com facilidade que cheguei a Jerusalém a cerca de doze dias apenas para adorar no templo na Páscoa.

Meus acusadores, nem ninguém, me encontraram discutindo no templo, nem causando tumulto em nenhuma sinagoga, nem nas ruas da cidade. Por isso, eles não podem provar as acusações que fazem contra mim.”

E, Paulo continuou:

– “Mas, devo confessar que sou seguidor do Caminho, que eles chamam de seita. Adoro o Deus de nossos antepassados e creio na lei judaica e nos escritos dos profetas.”

Paulo explicou que tinha a consciência limpa diante de Deus e dos homens, por que possuia a mesma esperança em Deus e acreditava na ressurreição como eles.

E voltou à Jerusalém, depois de vários anos, para trazer ofertas para ajudar os necessitados.

– “Meus acusadores me viram no templo após a cerimônia de purificação e não havia ali nenhuma multidão ao meu redor e nenhum tumulto.

Pergunte a estes homens quais os crimes que me consideram culpado.

A única coisa que eles têm contra mim é afirmar que eu creio na ressurreição dos mortos!”

Naquele momento, o Governador Félix, que tinha bastante conhecimento sobre o Caminho, interrompeu a audiência e disse:

– “Vou esperar até que o comandante Lísias chegue, para que eu possa decidir o caso de vocês”.

E ordenou que um oficial mantivesse Paulo sob custódia, mas lhe deu liberdade para visitar seus amigos e providenciar o que ele precisasse.

Alguns dias depois, Félix junto com sua esposa, Drusila, que era judia, mandaram chamar Paulo, para que ele falasse a respeito da fé em Cristo Jesus.

Mas, quando Paulo passou a falar da justiça divina, do domínio próprio e do dia do juízo que estava por vir, o Governador teve medo e disse:

– “Pode ir, por enquanto. Quando for mais conveniente, nos te chamaremos de novo”.

O Governador, também, esperava que Paulo lhe oferecesse algum suborno, e muitas vezes o chamou para conversar com ele.

Assim se passaram dois anos, e Félix foi sucedido por Pórcio Festo. Mas, o Governador desejava obter a simpatia dos judeus e manteve Paulo na prisão. (Atos 24:1-27)

A defesa de Paulo era baseada na verdade e na fé. E isto era seu escudo.

[MÚSICA]

SENHOR, PARA ONDE IREMOS?! – Até os confins da terra!

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]


Val, o que você aprendeu hoje?!

– Que Deus está no controle de tudo e não adiantam armações…

– Os inimigos juntaram 40 homens, mas formou um batalhão de 470 soldados…

– Paulo tinha a inspiração do Espírito Santo que lhe dava as palavras de sabedorias em todos os momentos…

– Vale a pena se defender com a verdade e não se corromper aos favores deste mundo…

E o que é a Igreja para você?! Queremos saber sua opinião… Deixe seus comentários em nossas redes

 [VINHETA 6 – ESTA É A HISTÓRIA DA IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!]

No próximo episódio, veremos Paulo apelando para se defender perante César.

E veremos, também, as recomendações que Paulo escreveu aos Gálatas.

No próximo episódio venha ver:

A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra!

Meu pai, nós somos gratos e te louvamos por sua graça e misericórdia, por nos criar e pela salvação em Cristo Jesus. Nós te louvamos por nos incluir em seus planos e por aqueles que, antes de nós, lutaram e deram seu suor e sangue para que as boas novas do Evangelho chegassem até aqui.

E oramos, em nome de Jesus, para que o Senhor abençoe a tua Igreja, nos ensine a te servir e abençoe a todos aqueles que nos ouvem.

E todos nós dizemos… Amém!


[VINHETA 5 – SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!]

Quer apoiar o Ministério Só Boas Novas?! Acesse www.soboasnovas.com.br e clique no botão DOAR.

E, se você se sentiu abençoado com este episódio, você pode nos ajudar divulgando e compartilhando este e outros materiais do PODCAST SBN. Acesse no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas e nos tocadores de áudios: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google.
Então acesse, assine e comente em nossos canais, e, principalmente, compartilhe com seus amigos!

[VINHETA 2 – A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra…]

Esperamos você no próximo episódio! Até lá!


[VINHETA 4 – FECHAMENTO]
– Jonas de Souza Netto

https://soundcloud.com/soboasnovas/ep-i13-eu-estou-com-voce

Série A IGREJA DE JESUS! ATÉ OS CONFINS DA TERRA…, produzida pelo Ministério Só Boas Novas

A CIDADANIA DO REINO

[VINHETA 1 – ABERTURA]

Olá! Eu sou o Jonas e este é o PODCAST SBN, obrigado por sua companhia! Vamos para mais um episódio da serie: A IGREJA DE JESUS, a história do maior empreendimento de todos os tempos…

Olá conectados e conectadas! Eu sou a Val! Venham viajar e se emocionar comigo pelo primeiro século da nossa era, pela revolução que colocou o mundo de cabeça para baixo, no poder do Espírito Santo…

Os discípulos desafiaram os primeiros 100 anos da nossa história, com lutas, suor e sangue. Eles fizeram de tudo para levar as Boas novas para todas as pessoas!

Venha nos conhecer no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas, e nas plataformas de áudios: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google. E queremos conhecer você também!

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

[VINHETA ESPECIAL]

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]

Quando Pedro perguntou: SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!

O Mestre lhe respondeu: ATÉ OS CONFINS DA TERRA!

A IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!

Apresentaremos, hoje: “A Cidadania do Reino”

[MÚSICA]

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

Embora grande parte dos registros da Igreja de Jesus na Bíblia, no primeiro século, estejam relacionados às ações de Paulo e dos discípulos no mundo gentio, muitas ações e desenvolvimento do projeto de Jesus aconteciam, também, em Jerusalém e seus arredores promovidos pelos apóstolos.

Por volta do ano 58 dC, Paulo decide ir à Jerusalém, apesar da insistência de muitos para que não fosse, por causa dos riscos que ele certamente encontraria lá. Mas, ele estava sendo conduzido pelo Espírito e sabia que o Senhor estaria com ele diante dos sofrimentos e da morte.

Após as despedidas, Paulo junto com alguns discípulos, partiram em direção à ilha de Cós, passando por Rodes e Pátara, até chegar à Síria. E ali se encontrou com alguns discípulos daquela cidade e ficou com eles por sete dias. Eles, orientados pelo Espírito, insistiram com ele:

– “Por favor, não vá a Jerusalém.”

Após aqueles dias, eles se reuniram na praia, oraram e o acompanharam até o navio.

Na etapa seguinte, Paulo e os discípulos que o acompanharam, navegaram até Ptolemaida e ficaram um dia com os irmãos daquela cidade.

Depois partiram até Cesaréia e se hospedaram na casa de Filipe.

Filipe era um dos sete diáconos. Ele era um grande evangelista e tinha quatro filhas virgens, que profetizavam.

E, depois de alguns dias, chegou da Judéia um profeta, que se chamava Ágabo.

O profeta Ágabo foi aquele que esteve com Paulo e Barnabé e que profetizara a fome na Judeia e que aconteceu no ano 44 dC.

O profeta tomou a cinta de Paulo, e num gesto dramático amarrou-se com ela, pés e mãos:

– “Isto é o que o Espírito Santo diz: Os judeus em Jerusalém pegarão o homem a quem esta cinta pertence, e o entregarão nas mãos de gentios maus.”

E, todos insistiram para que não subisse a Jerusalém, mas ele respondeu:

– “Por que tudo isto? Vocês estão tornando as coisas mais difíceis para mim. Vocês não entendem. Não importa se vão me prender e matar, o que importa é o que o Senhor Jesus fará em Jerusalém por meio da minha obediência.”

Então, eles viram que nada podiam fazer para convencê-lo:

– “Está nas mãos de Deus. Seja feita a vontade do Senhor.

Logo depois dos preparativos, Paulo subiu para Jerusalém. E alguns discípulos de Cesaréia foram junto com ele e se hospedaram na casa de Mnasom, um discípulo chíprio.

Paulo foi bem recebido pelos irmãos em Jerusalém e quando chegou na casa de Tiago, todos os anciãos estavam ali para vê-lo.

Ele contou tudo o que, por seu ministério, Deus fizera entre os gentios.

E, todos glorificaram ao Senhor pelo seu testemunho e disseram:

– Aqui também, milhares de judeus zelosos da lei passaram a crer em Jesus!

– Mas, há um problema. Muitos estão dizendo que você ensina os gentios a se apartarem da Lei de Moisés, que não precisam circuncidar os filhos e nem andar segundo as tradições e os costumes da Lei.

Se souberem que você está aqui, virão imediatamente te atacar. E o aconselharam:

– “Temos quatro homens que fizeram voto de purificações rituais, mas eles não tem dinheiro para pagar as despesas do voto. Junte-se com eles e se santifique, prepare as ofertas, raspem a cabeça, para que todos fiquem convencidos que tudo foi um boato e que na verdade você é um zeloso da lei.”

Por que já escrevemos uma carta aos gentios para que observem as leis de se abster da comida sacrificada aos ídolos, do sangue de carne impura, da idolatria e da impureza sexual.

Então Paulo, aceitou o conselho deles, foi ao templo com os quatro homens e ofereceu a oferta, conforme haviam combinado.

Quando passaram os sete dias da purificação, alguns judeus da Ásia reconheceram Paulo no templo e provocaram um alvoroço gritando:

– “Israelitas vejam aqui. Este homem está viajando pelo mundo inteiro ensinando mentiras contra nossa religião, contra nossa lei e nosso povo e contra este lugar. E ele trouxe com ele gregos para profanar este santo lugar.”

E toda a cidade se alvoroçou, e muitas pessoas correram até lá. Pegaram e arrastaram Paulo para fora do templo.

Enquanto eles tentavam matá-lo, o comandante da guarda foi avisado da confusão e correu para lá, com soldados e centuriões. A multidão ao vê-los chegando pararam de espancar Paulo.

Então, o comandante de aproximou dele e depois de prendê-lo e algemar, perguntou para o povo:

– “O que foi que ele fez?”

Mas, a multidão gritava histérica e não dava para entender nada. Por isso, o comandante resolveu conduzi-lo para a fortaleza.

E enquanto os soldados tentavam protege-lo da violência da multidão, pelas escadarias, eles gritavam:

– “Mata ele! Mata ele!” (Atos 21:1-36)

[MÚSICA]

Quando os soldados introduziram Paulo na fortaleza. Ele se dirigiu ao comandante e disse:

– “Será que posso te dizer uma coisa?”

E o comandante ao ouvir isto em grego ficou surpreso, virou e disse:

– “Eu não sabia que você falava grego. Pensei que fosse aquele egípcio que há pouco tempo iniciou uma rebelião e se escondeu no deserto com quatro mil bandidos.”

– “Na verdade eu sou um homem judeu, cidadão de Tarso, uma pequena cidade da Cilícia e gostaria que você me permitisse falar ao povo.”

E, após o comandante ter permitido, Paulo, se pôs em pé nas escadarias, levantou os braços e, quando a multidão fez silêncio, começou a falar na língua aramaica:

– “Meus prezados irmãos e pais, ouçam me com atenção antes de tirar conclusões a meu respeito.”

O seu discurso em aramaico trouxe grande respeito, facilitou o entendimento e o povo ouvia com atenção.

– “Eu sou um bom judeu como vocês, nasci em Tarso da Cilícia, fui educado pelo rabino Gamaliel, instruído na verdade da lei de nossos pais e zelador do nosso Deus até hoje.”

Paulo explicou como perseguia os seguidores do Caminho, prendendo e colocando nas prisões, tanto homens como mulheres, com autorização até do sumo sacerdote. Mas, certo dia, quando ele estava a caminho de Damasco para perseguir os seguidores de Jesus, de repente uma grande luz do céu, o fez cair no chão e uma voz lhe disse:

– “Saulo, Saulo, por que você me persegue?”

– “Quem és tu Senhor?”

– “Eu sou Jesus Nazareno, a quem você persegue.”

– “Meus companheiros viram a luz, mas não ouviram a voz. Eu fiquei cego. Mas, o Senhor me disse para eu me levantar e ir até Damasco, e ali Ele diria tudo o que eu devia fazer.”

Paulo explicou como precisou de ajuda para chegar a Damasco e como foi curado por um homem piedoso, observador da lei, chamado Ananias.

– “E, depois que eu recobri a visão, Ananias instruído pelo Espírito me disse: O Deus de nossos pais de antemão escolheu você para fazer parte dos seus planos. E eu vi o Justo inocente de Deus que me olhou e disse:”

– “Você será minha testemunha diante dos homens. Não se detenha, levante-se, vá batizar e libertar, invocando o nome do Senhor.”

Paulo disse como o Espírito o alertou sobre a rejeição dele em Jerusalém, por causa de seu passado de perseguidor e o instruiu para ir além de Jerusalém para pregar aos gentios, para declarar que Jesus é o Filho de Deus. E eles estavam ouvindo com atenção, mas quando Paulo falou sobre Jesus, começaram a perder o controle e gritar:

– “Este homem não merece viver. Acabem com ele!”

O comandante ao perceber que a confusão estava se instalando ali, retirou Paulo e levou para a fortaleza. E enquanto o amarravam com correias para açoitá-lo, Paulo virou-se para o centurião e disse:

– “Não é ilegal torturar um cidadão romano sem um julgamento justo?”

O centurião correu para informar o Comandante:

– “Você sabia que este homem é um cidadão romano?”

O comandante ao ouvir isto foi até Paulo e lhe perguntou:

– “O que ouvi é verdade? Você é um cidadão romano?”

– “Claro que sim.”

– “Você sabia que eu tive que pagar uma grande quantia de dinheiro para obter a minha cidadania? Quanto custou para você?”

– “Nada. Não me custou nada. Eu sou cidadão de nascimento.”

O Comandante teve grande temor diante daquela informação e interrompeu o interrogatório.

O conceito de cidadania apareceu, principalmente na Grécia e Roma, e cresceu ao longo da História. Naquela época, possuir a cidadania romana era algo muito valioso e assegurava os privilégios do Direito Romano, e este foi um dos legados romanos que influenciaram as civilizações até aqui. E Paulo possuía cidadania romana “ius solis”, que era a nacionalidade estabelecida pelo local de nascimento.

Um cidadão romano estava sujeito à lei romana, não às leis das províncias. Uma pessoa que fosse acusada por leis locais, tinha o direito de ser ouvida por um tribunal romano. E se fosse sentenciada à morte, a pessoa podia ainda apelar ao imperador.

No dia seguinte, para se livrar daquela circunstância, o Comandante levou Paulo até os principais sacerdotes e o Conselho para ver o que pretendiam fazer com ele e com as acusações. (Atos 22:1-30)

Paulo estava diante de uma nova etapa de seus desafios em Jerusalém, mas para ele: “… o viver é Cristo, e o morrer é lucro. Mas, se eu continuar vivo, posso trabalhar e produzir frutos para Cristo.” (Filipenses 1:21,22)

[MÚSICA]

SENHOR, PARA ONDE IREMOS?! – Até os confins da terra!

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]


Val, o que você aprendeu hoje?!

– Paulo era muito inteligente, culto e obstinado. Ele falava na língua que todos entendiam…

– Mas, o principal era que Paulo sabia a língua sagrada, a língua do testemunho…

– Sempre pronto para testemunhar de Jesus e o que Jesus fez em sua vida…

– Paulo reclamou para si não só a Cidadania romana, mas a cidadania do reino de Deus…

E o que é a Igreja para você?! Queremos saber sua opinião… Deixe seus comentários em nossas redes

 [VINHETA 6 – ESTA É A HISTÓRIA DA IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!]

No próximo episódio, veremos Paulo enfrentando o conselho de líderes do povo e os planos para mata-lo.

E veremos, também, Paulo se defendendo perante o Governador Félix.

No próximo episódio venha ver:

A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra!

Meu pai, nós somos gratos e te louvamos por sua graça e misericórdia, por nos criar e pela salvação em Cristo Jesus. Nós te louvamos por nos incluir em seus planos e por aqueles que, antes de nós, lutaram e deram seu suor e sangue para que as boas novas do Evangelho chegassem até aqui.

E oramos, em nome de Jesus, para que o Senhor abençoe a tua Igreja, nos ensine a te servir e abençoe a todos aqueles que nos ouvem.

E todos nós dizemos… Amém!


[VINHETA 5 – SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!]

Quer apoiar o Ministério Só Boas Novas?! Acesse www.soboasnovas.com.br e clique no botão DOAR.

E, se você se sentiu abençoado com este episódio, você pode nos ajudar divulgando e compartilhando este e outros materiais do PODCAST SBN. Acesse no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas e nas plataformas de áudios: SoundClound, Spotyfi, Apple e Google.
Então acesse, assine e comente em nossos canais, e, principalmente, compartilhe com seus amigos!

[VINHETA 2 – A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra…]

Esperamos você no próximo episódio! Até lá!


[VINHETA 4 – FECHAMENTO]
– Jonas de Souza Netto

https://soundcloud.com/soboasnovas/ep-i12-a-cidadania-do-reino

Série A IGREJA DE JESUS! ATÉ OS CONFINS DA TERRA…, produzida pelo Ministério Só Boas Novas

A SEITA DO CAMINHO

[VINHETA 1 – ABERTURA]

Olá! Eu sou o Jonas e este é o PODCAST SBN, obrigado por sua companhia! Vamos para mais um episódio da serie: A IGREJA DE JESUS, a história do maior empreendimento de todos os tempos…

Olá conectados e conectadas! Eu sou a Val! Venham viajar e se emocionar comigo pelo primeiro século da nossa era, pela revolução que colocou o mundo de cabeça para baixo, no poder do Espírito Santo…

Os discípulos desafiaram os primeiros 100 anos da nossa história, com lutas, suor e sangue. Eles fizeram de tudo para levar as Boas novas para todas as pessoas!

Venha nos conhecer no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas, e nas plataformas de áudios: SoundCloud, Spotyfi, Apple e Google. E queremos conhecer você também!

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

[VINHETA ESPECIAL]

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]

Quando Pedro perguntou: SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!

O Mestre lhe respondeu: ATÉ OS CONFINS DA TERRA!

A IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!

Apresentaremos, hoje: “A SEITA DO CAMINHO”

[MÚSICA]

[VINHETA 2 – A Igreja de Jesus! Até os confins da terra!]

Os seguidores de Jesus se chamavam “Os do caminho” e muitos os viam como uma seita. Quando o movimento cresceu e se tornou popular entre os gentios passaram a ser chamados de Cristãos.

A ideia do Caminho estava relacionada com a visão que o Mestre da Galileia lhes dera sobre Seu Reino. Eles foram ensinados caminhando com Ele e aprenderam que seguir Jesus significava caminhar pelo mundo e não ter onde recolher a cabeça.

Jesus declarou para eles: “Eu sou o caminho, que é a verdade e a vida”, e os enviou para ensinar o caminho do Reino e da Salvação.

É como a escritora Cora Coralina escreveu: “O que importa na vida não é o ponto de partida, mas a caminhada. Caminhando e semeando, no fim teremos o que colher”.

Eles eram os discípulos do Caminho, o Caminho que é Jesus.

Neste episódio vamos viajar com o apóstolo Paulo em sua terceira viagem missionária, que foi narrada por Lucas, em Atos nos capítulos 19 e 20.

Enquanto Apolo pregava na região de Corinto, Paulo viajou pelas regiões do interior até chegar a cidade de Éfeso, que ficava no litoral, e ali encontrou doze discípulos:

– “Vocês receberam o Espírito Santo quando creram?”

– “Não. Nunca ouvimos que existe o Espírito Santo.”

– “Como vocês foram batizados?”

– “Com o batismo de João.”

– “Entendi. É que João batizava com o batismo de arrependimento, preparando o povo para que cresse naquele que viria depois, que era Jesus.”

Assim, Paulo os batizou em nome do Senhor Jesus, impôs as mãos e o Espírito Santo veio sobre eles, e falaram em línguas e profetizaram.

Durante três meses Paulo pregou corajosamente na sinagoga sobre o reino de Deus, mas alguns rejeitaram a mensagem e começaram a falar mal sobre os seguidores do Caminho. Por isso, ele deixou a sinagoga e passou a ensinar diariamente na escola de Tirano.

Vieram gente de toda a província da Ásia, tanto judeus como gregos, para ouvir a palavra do Senhor. E Paulo ensinou ali por dois anos.

E Deus concedeu a Paulo o poder de realizar milagres extraordinários. Inclusive, os lenços ou aventais usados por ele, quando colocados sobre os enfermos, curavam suas doenças e tiravam espíritos malignos.

Havia muita religiosidade pagã e feitiçarias presentes nas culturas daquela época. E muitos homens mal-intencionados faziam de tudo para se aproveitar das pessoas.

Certa vez, os sete filhos de Ceva, que era um dos principais sacerdotes, tentaram expulsar espíritos malignos, dizendo:

– “Ordeno que saia em nome de Jesus, a quem Paulo anuncia!”

– “Eu conheço Jesus e conheço Paulo, mas quem são vocês?”

E, violentamente, o homem possuído atacou os impostores, arrancou suas roupas e os feriu.

As notícias das maravilhas de Deus se espalharam na Cidade de Éfeso, tanto entre judeus como entre gregos, e muitos creram e confessaram suas obras pecaminosas. Muitos deixaram a feitiçaria, queimaram seus livros de encantamentos e a mensagem do Senhor teve efeito poderoso naquele lugar.

Depois disso, Paulo se sentiu impelido pelo Espírito a passar pela Macedônia e pela Acaia, antes de ir a Jerusalém. Então, ele enviou de imediato, Timóteo e Erasto, à Macedônia.

Neste período, aconteceu um enorme tumulto em Éfeso contra os discípulos do Caminho.

A cidade de Éfeso era famosa por causa da grande deusa Artemis e de seu famoso templo. Toda a província da Ásia a adorava e havia muitas festas dedicadas a ela. E, por isso, Éfeso era um dos lugares do culto Imperial.

Muitas pessoas viviam do grande comércio em torno desta crença, fabricando modelos da deusa. E quando eles souberam que Paulo convencera muita gente que deuses feitos por mãos humanas não são deuses de verdade, ficaram furiosos e organizaram uma grande revolta contra Paulo e seus discípulos.

Arrastaram os discípulos macedônios Gaio e Aristarco para o anfiteatro, enquanto uma multidão gritava sem parar:

– “Grande é Ártemis dos efésios!”

Paulo quis ir até lá, mas os discípulos o impediram por causa do risco. Alexandre um judeu, tentou contê-los e explicar a situação, mas o povo gritava o tempo todo:

– “Grande é Ártemis dos efésios!”

Só depois que apareceu um escrivão da cidade, a multidão se calou:

– “Cidadãos de Éfeso, todos sabem que nossa cidade é a guardiã do templo da grande Ártemis, cuja imagem caiu do céu para nós. Por favor, acalmem-se e não façam nada precipitadamente.

Estes homens não roubaram nada do templo nem disseram nada contra nossa deusa. Se vocês têm alguma queixa contra eles, façam acusações formais, para que sejam resolvidas em assembleia, conforme a lei.

E não corram o risco de serem acusados de provocar desordem.”

Depois disto o povo se acalmou e ele os despediu, e a multidão se dispersou. (Atos 19:1-41)

[MÚSICA]

A segunda etapa da viagem é o retorno de Paulo para Jerusalém. Ele se despediu dos discípulos e partiu para a Macedônia. E em todas as cidades que passava, Ele encorajava os discípulos.

Paulo ficou na Grécia, durante três meses. E, depois, navegou para a Síria com alguns discípulos: Sópatro, filho de Pirro, de Bereia; Aristarco e Secundo, de Tessalônica; Gaio, de Derbe; Timóteo; e Tíquico e Trófimo, da província da Ásia.

Mas, ele teve que desviar pela Macedônia para evitar alguns judeus que planejavam matá-lo.

Em Trôade, Paulo partiu pão com os irmãos e ficou com eles por uma semana.

Antes de partir, ele fez um de seus maiores discursos. Eles estavam reunidos no andar superior de uma casa, iluminados por lamparinas, e Paulo pregou por horas.

Perto da meia-noite, um jovem chamado Êutico, que estava sentado no parapeito da janela adormeceu profundamente, caiu de uma altura de três andares e morreu.

Paulo desceu correndo até ele, se inclinou e o abraçou:

– “Não se desesperem. O rapaz está vivo!”

Então, todos subiram novamente, partiram o pão e comeram juntos. E Paulo ainda continuou falar até o amanhecer e depois partiu.

Paulo foi por terra até Assôs e navegou até Mitilene. Passando pelas

ilhas de Quios e de Samos até chegar a Mileto.

Paulo não quis aportar em Éfeso, por que tinha pressa de chegar a Jerusalém, para a Festa de Pentecostes. Por isso, pediu para que os presbíteros da igreja de Éfeso, viessem encontrá-lo.

Quando chegaram, ele os reuniu para um último sermão. Foram palavras muito tristes:

– “Vocês sabem que, desde o dia em que pisei aqui na província da Ásia, eu fiz o trabalho do Senhor humildemente e com muitas lágrimas. Suportei as provações decorrentes das intrigas dos judeus e jamais deixei de dizer a vocês o que vocês precisavam ouvir, seja publicamente, seja em seus lares.”

Paulo falou que o arrependimento e a fé são a única mensagem que importa para judeus e para gregos. E falou de sua ida à Jerusalém e de suas incertezas, por que certamente estariam pela sua frente prisão e sofrimento.

– “Minha vida não vale coisa alguma para mim, a menos que eu a use para completar minha carreira e a missão que me foi confiada pelo Senhor Jesus: dar testemunho das boas-novas da graça de Deus.”

E alertou:

– “Eu sei que não os verei mais. Nenhum de vocês, a quem anunciei o reino, me verá outra vez. Portanto, cuidem de si mesmos e do rebanho sobre o qual o Espírito Santo os colocou como bispos, para pastorear.

Fiquem atentos, por que surgirão em seu meio falsos mestres, lobos ferozes para atacar o rebanho. Dispostos a distorcer a verdade para conquistar os seguidores.”

Paulo falou dos três anos que estivera com eles, dos conselhos para 

edificá-los e como trabalhou para prover suas necessidades e ajudar os necessitados. E lembrou as palavras do Senhor Jesus:

– “Há maior bênção em dar do que em receber.”

Ao concluir Paulo se ajoelhou e orou com eles.

Na despedida o choro tomou conta de todos e foi cheia de abraços e beijos. Eles estavam muito tristes por ele ter dito que nunca mais os veriam.

E eles não largaram de Paulo até que ele subiu no navio. (Atos 20:1-38)

Paulo se deixava ser guiado pelo Espírito do Senhor com humildade, entrega e dedicação. O sofrimento e as tribulações não eram capazes de desanimá-lo, mesmo que isso lhe custasse a vida. O que importava para ele era pregar as boas novas do Reino de Deus e ensinar e encorajar seus discípulos.

[MÚSICA]

SENHOR, PARA ONDE IREMOS?! – Até os confins da terra!

[VINHETA 3 – A Igreja de Jesus! O maior empreendimento de todos os tempos!]


Val, o que você aprendeu hoje?!

– O mundo da época era cercado por religiosidades pagãs, deuses e feitiçarias…

– Havia muitos aproveitadores que exploravam a fé das pessoas e isto era um grande desafio para a propagação do Evangelho…

– Tem duas coisas de Paulo que eu gosto muito: Deixar sua vida ser guiada pelo Espírito e estar sempre encorajando os discípulos…

– Paulo não temia os riscos. Ele era focado no Ministério. A sua vida era dedicada a pregar e ensinar as boas novas.

E o que é a Igreja para você?! Queremos saber sua opinião… Deixe seus comentários em nossas redes

 [VINHETA 6 – ESTA É A HISTÓRIA DA IGREJA DE JESUS – O maior empreendimento de todos os tempos!]

No próximo episódio, veremos Paulo visitando Tiro e Cesareia, a caminho de Jerusalém.

E veremos, também, Paulo em Jerusalém sendo espancado e preso.

No próximo episódio venha ver:

A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra!

Meu pai, nós somos gratos e te louvamos por sua graça e misericórdia, por nos criar e pela salvação em Cristo Jesus. Nós te louvamos por nos incluir em seus planos e por aqueles que, antes de nós, lutaram e deram seu suor e sangue para que as boas novas do Evangelho chegassem até aqui.

E oramos, em nome de Jesus, para que o Senhor abençoe a tua Igreja, nos ensine a te servir e abençoe a todos aqueles que nos ouvem.

E todos nós dizemos… Amém!


[VINHETA 5 – SENHOR, PARA ONDE IREMOS?!]

Quer apoiar o Ministério Só Boas Novas?! Acesse www.soboasnovas.com.br e clique no botão DOAR.

E, se você se sentiu abençoado com este episódio, você pode nos ajudar divulgando e compartilhando este e outros materiais do PODCAST SBN. Acesse no site podcast.soboasnovas.com.br, no youtube.com/soboasnovas e nas plataformas de áudios: SoundClound, Spotyfi, Apple e Google.
Então acesse, assine e comente em nossos canais, e, principalmente, compartilhe com seus amigos!

[VINHETA 2 – A IGREJA DE JESUS – Até os confins da terra…]

Esperamos você no próximo episódio! Até lá!


[VINHETA 4 – FECHAMENTO]
– Jonas de Souza Netto

https://soundcloud.com/soboasnovas/ep-i11-a-seita-do-caminho